Tudo Sobre a Raiva Animal: Contágio e Prevenção

A Raiva

A Raiva é uma doença infecciosa que também pode ser conhecida como Hidrofobia. Essa doença afeta os mamíferos e é causada por um vírus que de instala e depois começa a se multiplicar primeiramente nos nervos periféricos e depois no sistema nervoso central.

O estágio seguinte da doença é chegar às glândulas salivares, lá ela começa a se multiplicar e de propagar. Trata-se de uma doença que ocorre em animais, mas que também pode afetar o ser humano. Sendo assim é considerada uma zoonose. [nggallery id=6889]

Como Acontece a Transmissão Da Raiva

A transmissão da doença acontece do animal infectado para aquele que está saudável através do contato de saliva. Pode ser através de mordeduras, lambidas de feridas abertas, arranhões e até mucosas. Há alguns casos relatados de transmissão via inalatória pela placenta e pelo aleitamento. No caso de seres humanos há a possibilidade de transmissão através do transplante de córnea.

A raiva infecta animais homeotérmicos e por isso no ambiente urbano a doença tem como seu principal agente transmissor o cão, porém, o gato aparece em segundo lugar. Já num ambiente selvagem os seus principais agentes são raposas, coiotes, lobos e também morcegos hematófogos. Para se ter uma ideia 80% dos casos que são registrados da doença são em carnívoros.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=oeFExJFQlsg[/youtube]

A Raiva Nos Animais Domésticos

Apesar de a Raiva estar controlada em animais domésticos em vários países é importante dedicar uma atenção especial para os animais silvestres. O controle e a vigilância da raiva é um grande gerador de despesa mesmo em locais em que a doença seja considerada erradicada ou controlada. Trata-se de uma doença fatal em todos os casos que conseguem evoluir para a manifestação dos sintomas.

Uma pesquisa realizada até o ano de 2006 descobriu 6 casos de cura entre humanos, 5 desses casos haviam recebido o tratamento da vacina pré e pós-exposição. Uma curiosidade é que o caso de raiva curado sem os cuidados da vacinação se deu em Recife, Brasil num hospital público.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=V0qdeb65N9k[/youtube]

O Que Você Deve Saber Sobre a Raiva Animal

Cuidar bem do seu pet é essencial para evitar que ele possa vir a ser infectado pela Raiva e assim possa transmitir esse terrível vírus para a sua família ou outros animais domésticos.

Doença Incurável e Contagiosa

A primeira coisa importante a se saber sobre a Raiva é que se trata de uma doença contagiosa e sem cura. Além de se manifestar em cães a gatos a Raiva pode se desenvolver em seres humanos. Sendo assim o melhor remédio ainda é a prevenção. [nggallery id=6890]

Vacinação e Outros Cuidados

A prevenção da doença é feita através de vacinação regular dos animais, porém, antes disso ainda podemos enfatizar outros cuidados essenciais. Para isso é importante saber de onde essa doença vem e quais são os principais sintomas através dos quais podemos diagnosticá-la.

Um dos principais transmissores da raiva é o morcego hematófago que tem uma alimentação exclusivamente do sangue de vertebrados. Todo e qualquer morcego pode carregar em si o vírus, porém, para que a transmissão aconteça é necessário que haja contato da saliva com o sangue do animal.

Lembramos novamente que a Raiva é uma zoonose e dessa forma a sua transmissão pode acontecer passando do animal para o homem e pode chegar inclusive a causar a sua morte. Mas, para que essa transmissão para seres humanos aconteça é necessário que o pet seja portador da doença.

As vacinas de raiva estão inclusas no grupo de vacinas que o seu pet precisa tomar. Então não deixe de levar o seu pet para tomar as vacinas e assim garantir a segurança dele e a sua. [nggallery id=6891]

O Contágio De Pessoas

Já explicamos como acontece o contágio de animal para animal, mas é importante que você fique atento também para a forma de contágio de pet para ser humano. O contágio acontece principalmente através da mordedura do animal e isso inclui os pets domésticos. Além disso, se houver contato da saliva do animal raivoso por meio de um corte, queimadura ou ferida é possível que haja o contágio.

Depois que a contaminação acontece o vírus passa a ficar incubado durante um certo período e em seguida começa a migrar para os tecidos de forma assustadoramente rápida.

Sintomas Da Raiva No Ser Humano

Os sintomas que permitem a identificação da doença no homem incluem ataques e depressão nervosa, tendência a gritaria e agressividade e também acessos de fúria, baba, alucinações, delírios entre outras. O período de duração dos sintomas é de cerca de três dias, depois o homem passo a apresentar paralisia flácida na face e em seguida no restante do corpo. [nggallery id=6892]

Sintomas Da Raiva Nos Animais

Além de ter alguns sintomas em comum com aqueles do ser humano, como a baba, por exemplo, os cães e gatos ainda apresentam outros sintomas. Os animais que estão infectados pela raiva podem ter uma sensível mudança de comportamento ficando mais reclusos, ter uma maneira diferente de agir, ficarem agressivos e salivar demais.

Aliás, a baba tão característica da raiva animal acontece pelo fato de que há a paralisia dos músculos da face que impedem a deglutição da saliva. A agressividade também é um importante indicador de algo está errado com o animal, pois se trata de uma consequência de outros sintomas como traumas e medo.

O diagnóstico de um animal com essa doença é feito através de exames no cérebro e tronco cerebral do mesmo, sempre em busca do vírus. Manter o animal em observação também ajuda no diagnóstico. [nggallery id=6893]

Como Agir Em Caso De Mordedura Ou Arranhão De Um Animal De Rua

No caso de você ser atacado por um animal de rua, seja um cão ou um gato, é importante lavar com abundância o local com água e sabão para evitar que possa acontecer a penetração de um eventual vírus. Se for possível capture o animal para que ele possa ser analisado por um veterinário para determinar se ele tem raiva.

Em caso positivo de raiva será realizado o tratamento antirrábico no paciente. Esse tratamento que possibilita a cura não está disponível para os animais de estimação. Por isso enfatizamos a importância de vacinar o seu pet. [nggallery id=6894]

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Doenças

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *