O Problema Da Obesidade Animal

Vimos que os numerosos séculos de domesticação permitiram aos cães e gatos, principalmente, desfrutar de bons pratos de comida, ração balanceada, doces, e outras guloseimas, mas, além disso, compartilham conosco nossos maus hábitos alimentares.

Os animais domésticos, aos poucos, têm levado vida de humanos, e como tais, estão fadados ao sedentarismo e ainda à boa vida, por isso, também têm ficado obesos, a exemplo de seus donos. Mas ao contrário dos homens, os animais domésticos tem mais dificuldade em perder peso, pois não podem usufruir das facilidades do emagrecimento rápido, como a lipoaspiração, as pílulas contra a fome e muitas outras tecnologias.

O Problema Da Obesidade Animal

O Problema Da Obesidade Animal

A Gravidade Do Problema De Obesidade Nos Animais Domésticos

Cerca de 40% dos animais domésticos levados para as clínicas veterinárias atualmente sofrem com a obesidade. Este problema costuma afetar em maior número as fêmeas do que os machos, e ainda certas raças mais do que outras, especialmente nos cães as raças como Labrador, beagle, Rottweiler, e Basset Hound.

O Que é a Obesidade Animal

A obesidade animal está ligada a aquele bicho que apresenta um acúmulo excessivo de gordura no corpo e não tão somente um excesso de peso, pois este pode ser também devido a uma retenção de água no organismo ou uma massa muscular em exagero. A obesidade primeiramente pode ser traduzida por certa deformação física, o que o difere dos demais animais da espécie, devido aos depósitos de gordura generalizado ou generalizados.

Um cão ou gato em estado normal tem sempre suas costelas visíveis quando se movimenta e as mesmas são bem fáceis de serem palpadas, ao contrário do que ocorre com os bichos obesos.

As Principais Causas Da Obesidade

De longe, assim como nos seres humanos, a primeira causa é da obesidade é a superalimentação. Por isso, é fácil observar que os animais obesos comem mais do que precisam, enquanto que deveriam comer bem menos para se manterem saudáveis.

Para que haja uma alimentação equilibrada dos animais, o balanço de energia deve ser nulo, ou seja, o animal deve receber em alimentação igualmente o quanto gasta. A energia fornecida pela comida deve compensar exatamente suas necessidades fisiológicas, referentes ao crescimento, lactação, gestação, entre outros, bem como as atividades físicas, como a caça, o esporte, o pastoreio, e as demais.

Para ser mais específico, caso o animal não faça qualquer atividade física e seja do tipo que dorme grande parte do tempo, deve necessariamente receber uma quantidade muito menor de alimentação, pois qualquer petisco dado a mais certamente irá engordá-lo.

Outras Causas Da Obesidade

Estima-se que entre os animais domésticos, cerca de 25 % dos cães sofram de disfunções hormonais e ainda outros 15 % tenham a chamada obesidade do stress , que é decorrente dar falta de atividade, da solidão e ainda até pela carência de atenção, o que leva o animal a consumir alimentos em quantidade superior como forma de aliviar a tensão.

Complicações Decorrentes Da Obesidade

As consequências mais severas e imediatas decorrentes da obesidade animal são:

  • como diminuição da resistência.
  • contornos do corpo pouco graciosos.
  • transtornos no aparelho locomotor, dificultando as tarefas básicas, como a corrida ou caminhada.
  • dificuldades cardiopulmonares, especialmente aquelas relacionadas à respiração.
  • patologias sérias nas funções reprodutivas.
  • predisposição a diabetes animal.
  • predisposição a transtornos cutâneos enfermidades infecciosas.
  • altos riscos se forem necessários procedimentos cirúrgicos.

Como Acabar Com o Problema Da Obesidade Animal

Primeiramente, o dono do animal precisa se convencer do estado grave de obesidade de seu bichinho, cão, já que a imagem de que um animal gordo era de um bem tratado e saudável é coisa do passado. Atualmente animais considerados saudáveis são aqueles ágeis, magros e que sempre estão dispostos à diversão e a alegria.

Outro ponto importante a ser levantado é que o dono siga rigorosamente as indicações do fabricante quanto à quantidade de ração e alimentação a ser fornecida para o animal. Pois aquela medida é a ideal, levando em consideração a raça e a idade do bicho.

Ainda é recomendável que se fracione a quantidade de ração ao longo do dia, deste modo o cão animal terá sempre a sensação de estar saciado, especialmente por ter a comida sempre lá. Isto quer dizer, em vez de você oferecer 300g de alimentos de uma única vez, forneça a mesma quantidade distribuída em três refeições de 100g cada uma.

É interessante que o dono dispense as guloseimas destinadas ao animal, ou seja, deixe de fornecer o biscoito do café da manhã, o pedacinho de queijo ou de doce à tarde, e ainda o bifinho da noite. Somente com essas atitudes o animal já perderá bastante peso, claro que tudo acompanhado de atividade física regular.

Geralmente, os petiscos animais são usados de forma errada. Na verdade, os mesmos foram criados para ser dados aos animais como benefício durante o treinamento, como forma de premiação, um incentivo ao aprendizado correto e à obediência. Vale lembrar que biscoito algum faz o milagre supremo de limpar os dentes do animal, então não há desculpa para dar o petisco, já que, o que limpa realmente os dentes é a escovação periódica e ação mecânica de roer ossos.

Se apesar de todas as mudanças sugeridas, seu animal continuar obeso ou com excesso de gordura, convém que seja estabelecido um programa preciso de emagrecimento junto ao veterinário de sua confiança, que o trata. Este certamente poderá usar alimentos dietéticos industrializados ou ainda indicar uma dieta caseira que seja mais eficiente.

Lembre-se que as principais causas da obesidade animal estão diretamente ligadas aos maus hábitos dos donos, por isso, ajude seu animal mudando também seus hábitos alimentares. Busque sempre uma alimentação saudável. Remova de seu dia a dia as guloseimas, principalmente doces e refrigerantes, inclusive nunca dê nenhum desses alimentos a seu cão, gato ou qualquer outro animal. Esses alimentos são extremamente prejudiciais à saúde animal, podendo até, quando ingeridos com regularidade, levar ao óbito.

Sempre que sentir que seu bichinho não está bem, leve-o ao veterinário, e busque sempre estar com ele, brincar, dar atenção, fazer um carinho. Nós humanos somos carentes e precisamos de mimos, os animaizinhos também. Não se esqueça disso!

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Doenças

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *