Cachorros Sabem Nadar?

De forma teórica, achamos que todos os animais devam saber se mexer na água para que assim não afundem, entretanto, na prática, isso não funciona na prática. Muitos animais têm perfil atlético e gostam bastante de estar em contato com a água. Há ainda aqueles que são pesados demais e fogem até mesmo do banho. Com isso, se precisar nadar, é bem fácil de acabar se afogando.

Todos os Cães Sabem Nadar?

Determinadas raças de cães são nadadoras natas, como os labradores ou os goldens retrievers, o cão d’água português, dentre outros. Há aquelas que têm maior dificuldade nisso, como aqueles que pertencem à raça braquicefálicas, que possuem a cara achatada, como é ocaso dos buldogues, que podem chegar a ter problemas se precisarem contar com sua habilidade na natação.

Talvez a questão fundamental, no caso, não seja a capacidade ou não da natação e sim a dificuldade que o cão pode encontrar para deixar a piscina ou lago. Mesmo um nadador experiente pode se afogar se cair por acidente numa piscina e não possui a habilidade para sair. Ele vai acabar nadando e nadando até se cansar, porém se não receber auxilio para sair pode sim se afogar.

O Problema Com as Escadas

Em casas que possuam piscinas e cães, toda piscina deve possuir um local para eles saírem. Se escada da piscina for feita de alvenaria, e os degraus estiverem no limite da água, fica bem mais fácil, basta observar se eles conseguem cumprir o trajeto. Mas, em determinados casos, é preciso ensiná-los ou até mesmo fazer a instalação de um piso antiderrapante para ajudar.

Se a escada for daquele tipo tubular, fica bastante complicado de o cão conseguir subir.  Há plataformas que podem ser instaladas nestas escadas que acabam resolvendo o problema.

Outra maneira é deixar uma rampa, ainda que improvisada, e ensinar o cachorro a sair sempre por ali, especialmente quando não tiver pessoas que possam ajudá-lo. Também é possível fazer a instalação de uma proteção ao redor da piscina para impedir que o animal caia por acidente.

Cães Que Gostam de Nadar

Há raças que são completamente apaixonadas pela natação, como os Yorkshires, os Golden Retrievers, e os Labradores que são tidos como nadadores natos e, sem se esquecer de mencionar muitos vira-latas que são comparados a verdadeiros peixes. A verdade é que o gosto pela natação está impresso no DNA de vários cachorros.

A natação é um hábito bastante saudável, que traz grandes benefícios ao sistema muscular e respiratório, além de ser uma enorme prática esportiva. Entretanto não é chegar e arremessar o filhote na água, achando que o mesmo sairá nadando como se fosse um peixe.

Há muitos cães que se jogam na água por volta própria e já saem nadando, enquanto outros necessitam de um pouco mais de paciência em todo o processo, porem isso não quer dizer que eles sejam avessos à água, ou que não se possam tornar nadadores.

Seja qual for o processo que fez com que seu animal fosse um apaixonado por água, é fundamental que se saiba alguns detalhes e que se tome alguns cuidados para que a brincadeira se torne mais divertida e segura.

Os Cuidados Necessários

Determinadas raças foram criadas para possuírem uma afinidade incrível com a água, enquanto outras desenvolvem essa qualidade com o passar do tempo. Como já dissemos, na teoria, todos os animais, sem mencionar esta ou aquela raça, sabem se virar dentro d’água, para não morrerem afogados, mas não quer dizer que saibam nadar.

Muitos cãezinhos são superatletas e gostam mesmo de água. Outros apenas não nasceram com esse gosto, parecem mais pesados, possuem proporções que complicam a movimentação dentro da água e, em razão disso, querem mesmo é ficar longe.     Quando a conversa é sobre seu cãozinho nadador, independente da raça ou do gosto pela natação, o que é realmente deve ser levado em consideração não é a sua habilidade dentro da água, e sim os problemas decorrentes do tempo que ele ficará caso não consiga sair.

Deixar que um animal fique em uma piscina sem que haja uma supervisão pode se tornar uma grande dor de cabeça, então, o adequado é instalar uma proteção, que servirá também para crianças e adultos desavisados, e que pode ser uma tela ou até mesmo grades fixas envolta da piscina, evitando acidentes tristes.

Se a prática acontecer em represas, lagos ou no mar, é fundamental que esteja sempre atento ao animal, já que a correnteza pode levá-lo numa grande distância e ele ficará esgotado de tanto nadar, inclusive correndo o risco de lhe causar uma cãibra. Então todo cuidado é recomendado. Deixe-o sempre perto e não permita que ele nade sozinho, por mais que você ache que ele é um maravilhoso nadador.

Cuidados Especiais

Existem determinados cuidados que são necessários depois da natação. Geralmente, a água de piscina possui cloro, o que pode vir a trazer irritação na pele do cão, causando dermatites. Por isso, é recomendado que, depois de sair da água, seu cãozinho receba um belo banho para retirar qualquer substância que seja nociva a seu pelo ou pele.

Da mesma forma, a água salgada também pode causar determinadas irritações, especialmente se vier juntamente com a areia, por isso, dê uma ducha completa em seu animal para remover totalmente a areia e o sal. Tenha especial cuidado com a região do focinho e dos olhos, que são áreas bem delicadas que não podem ficar tempo demais expostas a água salgada e ao cloro.

É fundamental que seja lembrado que o pelo do animal deve ser seco por completo, pois, caso permaneça molhado ou úmido por um tempo prolongado, acaba por se tornar um ambiente propício para o surgimento de bactérias e fungos.

É importante ainda, que se tome cuidado redobrado com o ouvido do animal: se por acidente entrar água, ele pode vir a sofrer com os sintomas característicos da otite, que assim como no ouvido humano, causa tremenda dor e desconforto, além de impedir o cão de se alimentar adequadamente e de levar uma vida normal, já que ficará febril e nervoso.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Caninos

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *