Cálculo Renal Animal: Prevenção e Tratamento

O Cálculo Renal

Calculo renal ou urolitos, nome científico, mais conhecido como pedra nos rins, é uma dor aguda que pode acontecer em qualquer parte do aparelho urinário (rins, uretra, ureteres, bexiga), é uma dor difícil de esquecer e  os homens sofrem mais que as mulheres, por isso dizemos que esta é uma doença mais comum entre os homens do que nas mulheres.

O Cálculo Renal Nos Animais

Pode parecer estranho, mas é bastante comum encontrarmos animais com doenças no aparelho urinário. Segundo especialistas aproximadamente a metade dos cachorros com mais de 10 anos podem apresentar problemas renais. Nos caninos encontramos quatro tipos de cálculos ou urolitos: aqueles que são posteriores as mudanças do metabolismo do animal, os oxalato de cálcio e os de urato, os de fosfato de cálcio normalmente relacionado às infecções urinárias, e os de cistina que afeta os animais hereditariamente.

Apesar de ser comum, encontramos muitos animais com doenças no aparelho urinário, e por isso precisamos ficar atentos, pois os sintomas apresentados pelos animais são diferentes dos que o homem apresenta.

Animais de qualquer raça, sexo, e da idade que tiver podem desenvolver cálculos renais, mas os animais mais velhos são os mais afetados, por volta dos 9, 10 anos de idade podemos perceber mudanças nos nossos animais, como falta de apetite, cansaço, perda de peso, vômitos, diarréias, fraqueza, aumento da ingestão de água, aumento da produção de urina, entre outros sintomas, é muito importante fazer o diagnóstico precoce da doença, antes que comecem a aparecer os sintomas mais sérios. 

Observando Os Sintomas De Cálculo Renal

Você também precisa observar outros sintomas, é importante que você fique atento com a mudança de cor da urina, tome cuidado com as urinas de cor amarelo escuro, avermelhada ou esverdeada, também tenha atenção com o odor, se estiver muito forte ou podre, você acaba de encontrar algum problema. Lembre-se que a urina tem substâncias arenosas, então é necessário observar também o tempo que seu animal leva para urinar, a posição e também a quantidade, se tem muita urina ou pouca. Deve-se analisar todos os sinais acima citados e procurar um veterinário para diagnosticar o problema de seu animal.

Precisamos diagnosticar o problema para tratar adequadamente, pois quando o animal tem recaídas ou quando a doença não é tratada corretamente pode causar até a insuficiência renal, infecções na bexiga, assim devemos cuidar da saúde dos rins do nosso animal de estimação, pois os rins são responsáveis por várias funções do corpo de seu animal, saiba que todas as funções são importante para seu organismo, como para produzir hormônios, filtrando o sangue, controlando a pressão arterial, no controle dos minerais no corpo do bichinho, o organismo do animal precisa estar regulado, funcionando estáveis e ao mesmo tempo para não ter alterações, e conservar as funções dos outros órgãos do organismo do seu animalzinho. 

Quando As Funções Renais Já Não Estão Mais Bem

Se o rim do seu animal perdeu o equilíbrio renal, ele vai desenvolver falência múltipla dos órgãos ao longo do tempo. Atenção as doenças renais aparecem mais facilmente nos animais idosos do que nos mais jovens e o diagnóstico é feito por meio de exames clínicos, laboratoriais, através de hemograma, análise de urina, radiografias, ultrassonografia, biopsia dos rins e vários outros exames que possam existir.

Os cálculos renais no animal podem levar a outras doenças como cistites, incontinência urinaria, infecções, complicações renais, sangue na urina, às vezes causa obstrução uretral, que só é resolvido com cirurgia.

Dependendo da raça do animal os tipos de cálculos renais podem diferenciar como os dálmatas, buldogue inglês, podem ter cálculos de urato, ou os cálculos de cistina aparecem com freqüência nos dachshund, basset hound, rottweilers, chihuahua, mastiff, spaniel tibetano. O cálculo Silicato aparece nos pastores alemão, nos labradores, nos golden retrievers e em outras raças. Mas as raças de cães que são mais afetados pelos cálculos renais são os Chihuahuas, York Shire, os Caniches, os Teckel, e também os Dálmatas. 

O tratamento dos cálculos renais nos cães pode ser feito através de cirurgia ou com o auxílio de medicamentos, mas tudo depende dos sintomas que o seu animal apresente. Às vezes o animal pode ter desidratação, precisamos deixar o animal estável para poder remover o cálculo, muitas vezes o animal precisa ser sedado para colocar sonda, cateter, esvaziar a bexiga ou outros tratamentos.

Normalmente o veterinário faz um exame de urina para diagnosticar a infecção e o tipo do cálculo. O tipo mais comum de cálculo em cães é o de oxalacetato de cálcio, isolado ou em associação com fosfato, correspondendo a mais de 65 % dos casos.

Se estiver infeccionado pode usar um acidificante urinário e um antimicrobiano para combater a infecção, mas se seu animal apresenta predisposição a criar cálculos, que pode ser de origem genética ou por causa de uma má alimentação, o tratamento pode ser com uma dieta com rações especiais que encontramos no mercado. 

Para evitar que seu cão tenha cálculos renais, ele necessita ingerir água em quantidade suficiente para diluir a urina, saiba que a ração conéem cerca de 11% de umidade, já a alimentação feita em casa tem cerca de 80% de água. Lembre-se que a água é importante para saúde de seu animal.

Já nos casos de cálculo renal nos gatos o problema é mais grave, pois eles ingerem menos água que os cães e podem segurar a urina por mais tempo, como os gatos não bebem água suficiente para evitar as infecções urinárias, a formação de cálculos renais eles obtém água dos alimentos.

Em um animal com saúde podemos encontrar pequenas quantidades de cristais na urina sem que represente nenhuma patologia, pois o fluxo de urina permite a sua eliminação sem acumulação.

Diante de tudo isso que viu você agora está ciente de como o cálculo renal pode fazer mal a seu animal, seja ele gato ou cachorro. É de suma importância que você deixe sempre a disposição água para seus bichinhos. Leve-os ao veterinário com certa freqüência para que este possa acompanhar qualquer problema que vir a aparecer em seu animal de estimação. 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Doenças

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *