Aracuã (Neomorphus Geoffroyi Dulcis)

Muitas pessoas são apaixonadas por aves, enquanto outras, pouco sabem sobre os indivíduos dessas espécies. Uma das aves que já podemos ter ouvido o som que ecoa, mas não sabemos qual é o Aracuão, também conhecido popularmente como Jacu.

Ficha Técnica

  • Reino: Animalia
  • Classe: Aves
  • Filo: Chordata
  • Família: Cuculidae
  • Ordem: Cuculiformes
  • Gênero: Neomorphus
  • Nome científico/Espécie: Neomorphus geoffroyi dulcis
  • Nome como é conhecido de maneira popular: jacu-bagunceiro, Aracuão, aracuã-da-mata, jacu-molambo, jacu-verde, jacu-taquara, jacu-porco, acanati-de-bico-verde, jacu-estalo-de-bico-verde e jacu-queixada.
  • Tipo de alimentação: Essas aves costumam buscar sua alimentação em locais onde há montes de galhos secos, cupinzeiros terrestres sem os insetos, buracos de tatus e ainda outros.
  • Reprodução: Os animais dessa espécie montam seus ninhos usando galhos bem grossos, cuja forração é feita a partir do uso de folhas verdes, com altura média de 2,5 m. Os ovos colocados são em número de 01 ou 02 ovos cuja coloração é branco-amarelada.
  • Tamanho: as aves dessa espécie costumam medir aproximadamente 51 cm de comprimento
  • Seu Habitat: Essa espécie de ave costuma ser encontrada em diversos locais do Brasil, especialmente no Sul da Bahia, Região Amazônica, Espírito Santo, Minas Gerais, de maneira original, a parte norte do Rio de Janeiro. Além disso, a mesma ainda pode ser encontrada da Nicarágua à Bolívia.
  • Características Principais: O dorso da ave possui tonalidade azul, cuja largura é maior e o colorido da mesma apresenta tom mais ferruginoso das ruivas faixas no alto da cabeça. Essa coloração apresenta mais ou menos nítida, possui uma bainha arruivada localizada nas penas que formam seu manto. No abdômen apresenta um tom um pouco mais claro, também avermelhado. As canelas dessa ave têm um tom castanho forte, intenso e bonito. As penas que cobrem a parte da cauda têm a coloração verde clara, sem que apresente uma mescla separada de púrpura ou cobre.
  • Curiosidades Interessantes: Essa ave é bastante rara, e pode ser encontrada com maior facilidade nas florestas primárias altas. Em grande parte do tempo está pulando e andando pelo chão, mas quando encontra um poleiro que seja adequado, usa para descansar, dormir e dar um jeito em sua plumagem, posicionando-se sobre ele como se fosse uma galinha. Gosta de seguir as formigas-de-correição, quando faz com o bico um forte estalo, o que acaba lembrando o bater dos dentes produzido pela queixada ou porco-do-mato, situação que acabou gerando algumas de suas denominações populares. Quando é encontrada correndo pelo chão, pode ser facilmente confundida com um esquilo ou quatipuru.
  • Critério/Categoria: Atualmente está espécie encontra-se em risco de extinção. Sua distribuição está bastante restrita, apontando áreas com populações fechadas.
  • Vocalização: Seu pio é baixo e apresentação um som monossilábico descendente, algo semelhante a “uu” que passa a ser repetido durante alguns minutos. Quando se sente ameaçado ou passa por uma situação um tanto estressante, acaba produzindo um estalo mais forte.
  • Ocorrência Geográfica: Como já dissemos apresenta maior incidência na região Sudeste.

Risco de Extinção

Essa ave podia ser facilmente encontrada nas frondosas florestas que formavam a parte central da Mata Atlântica, que começava a partir do sul da Bahia, passando pelo leste de Minas Gerais e chegando até o norte do Espírito Santo, que acabaram sendo destruídas. Dessa maneira, saber certamente onde ele se encontra passou a ser objeto de pesquisa de diversos pesquisadores. Além disso, seu fenômeno biogeográfico, feito por toda a raça ainda é um objeto de compreensão.

Por quem foi descoberto: Esta ave foi avistada primeiramente pelo cientista Snethlage, no ano de 1927.

Popular Jacu-Estalo

É tido como um dos indivíduos mais representativos da família Cuculidae em nosso país, sendo também uma das menos distinguida dentre os cucos. Uma de suas denominações mais comuns é tida através do som enunciado pelo tilintar de seus maxilares, muito parecido com aqueles emitidos pelos porcos-do-mato.

É uma ave que apresenta grande porte, que se soma ao comprimento exagerado de sua cauda, deixando-o semelhante a uma aracuã ou jacu, que não são diretamente ligados aos cucos, sendo profundamente terrícola.

Não anda em bandos, prefere viver de maneira solitária ou, no máximo em formando casais, nos locais de sua preferência. Apesar de ninguém achar, o Jacu sempre foi uma ave bastante discreta, rara e bastante complicada de ser avistada. Diferentemente de grande parte dos cucos, esse animal cuida de seus próprios filhotes e não é ligado ao comportamento de utilizar o ninho de outras aves para por os ovos.

Esses animais apresentam hábitos terrestres, além de serem esquivos e solitários, apresentando bico robusto e curvo, e ainda a cauda bastante comprida, sendo que as patas culminam em quatro dedos zigodáctilos, nas quais dois são voltados para trás e dois para a frente.

Uma das características capaz de distinguir essas aves é a crista azulada postada no alto da cabeça. As penas são bastante coloridas e variáveis, porém, em todas as subespécies que formam essa família, o dorso possui coloração verde-azeitona, e alguns reflexos metálicos. A parte onde está a garganta e o peito exibe um aspecto escamoso.

O avistamento dessas aves passa a ser cada vez mais difícil, especialmente em razão da perda de seu habitat natural, o que vem a causar a diminuição do local de abrigo, bem como do acesso a alimentação, forçando esses indivíduos a buscarem um local mais longe e até perigoso para se abrigar.  Muitos dos animais e aves que são obrigados a se deslocarem grandes distâncias em busca de alimentos acabam ficando a beira do caminho, morrendo em estradas, e até mesmo se tornando presas fáceis para animais de grande porte.

O problema do desmatamento não acaba somente com determinadas espécies de aves, mas compromete ainda a sobrevivência e procriação de muitos outros animais, colocando-os totalmente a mercê da sorte, sem o mínimo de água e comida para sua sobrevivência. Assim como os seres humanos, os animais também precisam ter sua vida cuidada, e para isso há as reserva naturais, lugares onde as mais variadas espécies de animais podem viver com qualidade, porém, não há tantas no Brasil, o que acaba ocasionando o desaparecimento de muitas espécies.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Aves

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *