Cães São Um Risco Para Saúde Do Bebê?

Logo que uma mulher engravida e, se em casa há animais de estimação, a ladainha começa: você não pode ter animais em casa; eles podem passar doenças sérias ao bebê; o bebê é alérgico a pelos de animais. E ainda muitas outras indagações que acabam deixando aos futuros pais nervosos, com tantas dúvidas.

Então para ajudar os pais que já têm bebê em casa e ainda àqueles que o bebê nem nasceu, vamos esclarecer as principais dúvidas quanto ao assunto.

Cães São Um Risco Para a Saúde Do Bebê?

Diversos estudos apontam que crianças pequenas e bebês que convivem diariamente com animais de estimação, especialmente gatos e cachorros, tem menor chance de adoecer, se comparados aqueles que não convivem com animais em sua casa.

Da mesma forma, aqueles bebês que possuem certa convivência com animais de estimação tem ainda menor probabilidade de desenvolver alergias do que os bebês que não convivem com animais.  Um estudo feito na Finlândia comprovou que a convivência direta com animais reduz a probabilidade de bebês virem a contrair doenças respiratórias.  Isso foi conseguido a partir do estudo do pó das casas que possuíam um cachorro, foi percebido que o mesmo reduzia a probabilidade de contrair algum tipo de vírus ligado a problemas de origem respiratória.

Ainda não foi descoberta com certeza, por qual razão a presença de um animal auxilia no ganho de imunidade de uma criança, porém, acredita-se que os animais aceleram e fortalecem o desenvolvimento do sistema imunológico do bebê, auxiliando-o no combate de inúmeras infecções em seu primeiro ano de vida.

A Gripe

O mesmo estudo citado acima apontou que, feito com 397 crianças, aquelas que convivem com animais de estimação possuem uma probabilidade 44% menor de desenvolver uma gripe e ainda uma chance de 29% menos de ter que tomar qualquer antibiótico, do que as demais que não têm convivência com animais.

Cachorros e Gatos

Além disso, o estudo comprovou que há diferenças no número de crianças doentes em casas que tinham somente gatos versus casas que tinham apenas cachorros.  Levando-se em comparação o primeiro ano de bebês, que tinham convivência com cachorros, aqueles que viviam com cachorros tinham 31% mais saúde.  Aqueles bebês que conviviam com gatos possuíam apenas 6% maior probabilidade de ter um primeiro ano de vida saudável do que aquelas que não possuíam gatos em casa.

Cachorros Que Somente Ficam Em Casa, Em Comparação Com Aqueles Que Saem De Casa

Aqueles animais que ficavam grande parte do tempo dentro de casa forneciam menor probabilidade de imunidade para os bebês.  Geralmente crianças que vivem com animais que passam muito tempo fora da casa têm mais saúde.

Levando-se em consideração residências com cães que passavam tempo menor que 6 horas por dia na casa, as crianças apresentavam um índice menor de infecção de ouvido, se comparado a crianças que convivem com cães que ficam grande parte tempo dentro de casa.

Esse estudo demonstra que os animais que ficam na rua, trazem micróbios e sujeiras de fora, para dentro de casa, e isso auxilia no fortalecimento do sistema imunológico do bebê.

Principais Ressalvas

O estudo apontado logo acima foi feito em áreas urbanas e rurais da Finlândia.  Portanto, há diferenças entre os micróbios presentes entre uma e outra região.  Por isso, é fundamental compreender aonde seu bicho fica quando sai de casa, além do que, é importante mantê-lo limpo, saudável e vacinado.

Grande parte dos cães convive muito bem com crianças e bebês, porém, mas é sempre salutar saber e conhecer os prováveis riscos da aproximação entre um cão e um bebê. De acordo com especialistas, é importante que se tenha cuidados básicos de higiene e ainda que se conserve certa distância do animal, especialmente relacionada ao contato íntimo, procurando-se evitar as lambidas ou brincadeiras em excesso que possam machucar.

Mais Cuidados Com o Trato Cães e Bebê

Caso você esteja grávida, e possua um cãozinho em casa, uma boa dica é fazer um esquema para que consiga cumprimentar o cão distante do bebê, isso, logo que chegar da maternidade, de maneira que ele não se assuste e nem sinta ciúmes do bebê, pois, até então era ele o centro de atenção do casal.

Para isso, basta pedir a alguém que dê uma volta com o animal enquanto você entra em sua casa, então, quando ele retornar você poderá recebê-lo com toda a atenção e o carinho que lhes são devidos, sem gerar nenhuma situação de estresse.

Cachorro X Comportamento Previsível

Cachorros são animais bastante curiosos, em razão disso fica difícil de se conseguir prever como os mesmos agirão em contato com o bebê. Para começar a aproximação, dê uma peça de roupa da criança para o cão cheirar, e, assim que os dois estiverem mais tranquilos, apresente um ao outro, permitindo que o cão possa cheira o pezinho de seu bebê.

Quando o bebê é muito pequenino, é simples mantê-lo a uma distância segura do cachorro e vice-versa. É importante não deixar que o cãozinho entre no quarto do bebê, especialmente se ele tiver um grande porte. Também não permita que o bebê e o cachorro fiquem no mesmo sofá ou cama, pois a atitude ambos é bastante imprevisível.

É importante que seja dispensada muita atenção ao animal, assim ele não ficará com ciúmes e não tentará chamar a atenção o tempo todo.

Outra dica importante para evitar acidentes, se você não conhece bem o comportamento de seu cachorro é nunca deixá-lo sozinho com o bebê, especialmente quando ele passar a engatinhar. Pode acontecer de o bebê puxar o rabo do cachorro ou tentar apertar seu focinho, abrir sua boca e coisa do tipo.

Há animais que não mostrarão o menor problema com isso, outros, porém podem reagir de maneira mais agressiva. Então, pelo sim e pelo não, sempre supervisione a relação dos dois, para que não haja nenhuma chance de acidente com a dupla. É importante que o animal não seja enfrentado, senão encarará aquilo como uma afronta e poderá atacar, isso conforme a raça e o comportamento do mesmo.

Os cães em geral são bastante dóceis e adoram crianças, se portando como as próprias quando estão em brincadeiras. Ter um cão em casa é certeza de que seu filho terá sempre um companheiro para todas as horas.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *