Fotos de Tamanduá

O Tamanduá-Bandeira, espécie mais popular e a maior das quatro existentes de tamanduás, podem chegar a ter entre 1 e 1,3 metros de comprimento. Sua cauda pode ter de 64 e 90 cm e o peso varia de 22 a 39 kgs.

Eles possuem um rosto pequeno com olhos e orelhas proporcionais. O destaque fica para o e seu focinho, que é longo e tubular. Eles têm grandes patas dianteiras com garras fortes. Quando vão se locomover, eles posicionam as garras para dentro, de medo que não toquem o chão para não de desgastarem.

O tamanduá tem um corpo estreito e sua cauda é longa e espessa. Sua pelagem possui tonalidades de cinza e marrom e é longa e grossa. Eles têm uma língua longa que é coberta de espinhos, sua​e saliva é pegajosa e é usada para capturar a presa.

Eles não possuem um bom senso de visão ou audição, mas o sentido do olfato é excelente. Eles, geralmente, são silenciosos e quem mais se comunica são as mães e seus filhotes. Eles se comunicam bufando, assobiando ou farejando. Em momentos de tensão eles podem chegar a rugir.

Ficha Técnica do Tamanduá

  • Nome científico: Myrmecophaga tridactyla
  • Continente: América do Sul e Central
  • Habitat: Florestas tropicais, savanas, florestas e regiões semi-áridas
  • Tamanho: Até 7 metros de comprimento
  • Peso: 18 a 60 quilos
  • Dieta: O tamanduá-bandeira é um carnívoro e come formigas, cupins, larvas, ovos e outros insetos.
  • Reprodução: Gestação 190 dias (um filhote por gestação)
  • Tempo de vida: 10 a 15 anos
  • Estado de conservação: Vulnerável

Habitat dos Tamanduás

Tamanduás habitam pastagens, florestas caducifólias e tropicais da América Central e do Sul. Eles são animais solitários e são mais ativos durante o dia. Costumam viver em circular por áreas de até 25 metros quadrados, dependendo da disponibilidade de alimentos.


Alimentação dos Tamanduás

Os tamanduás se alimentam principalmente de formigas e cupins, eles podem chegar a comer até 30.000 insetos por dia. Também comem larvas e, ocasionalmente, frutas e ovos.

Eles usam suas patas dianteiras, as que têm garras, para abrir os ninhos e cupinzeiros. Com a ajuda da língua, que é comprida e pegajosa, eles capturam e comem as suas presas.

Sua língua pode se estender até 2 metros de comprimento. Os tamanduás nunca destroem completamente um ninho. Os insetos podem reparar os danos rapidamente após o ataque, é bem provável que depois disso o tamanduá volte ao ninho para alimentar mais uma vez.

Na hora de buscar insetos para se alimentar, os tamanduás tomam cuidado para evitar as formigas soldado, que são perigosas e agressivas.

Taxa Metabólica dos Tamanduás

Por causa da má qualidade nutricional de sua dieta, o tamanduá-bandeira tem uma taxa metabólica lenta e, consequentemente, tem dificuldades em manter a sua temperatura corporal. Para superar essa dificuldade a espécie evoluiu o hábito de se esconder do calor ou frio no interior da floresta.

Mas essa não é a sua única estratégia. Apesar de habitar regiões tropicais, o tamanduá-bandeira tem uma pelagem grossa, especialmente a sua cauda. Quando ele quer dormir, faz uma cova rasa no chão, deita e usa a sua cauda para cobrir todo o corpo. A pele grossa da cauda funciona ​​como um isolante do frio e também ajuda a camuflar o animal enquanto ele dorme.

Depois de uma gestação de 190 dias, as fêmeas dão à luz a filhotes frágeis e elas também usam suas caudas para se esconder e protegê-los quando estão sendo amamentados. Um tamanduá-bandeira jovem monta nas costas de sua mãe e se locomove assim durante os primeiros nove meses de sua vida.

Filhotes de Tamanduá

Depois de um período de gestação de 190 dias. As fêmeas dão à luz em uma posição bípede (sobre as patas traseiras), utilizando a cauda para se sustentar. O filhote nasce pesando aproximadamente 1,3 quilos.  Quando completam a 6 meses de vida são desmamados, mas ficar com a mãe até que ela engravide novamente.

Os tamanduás se tornam sexualmente maduros quando completam de 2 a 4 anos de idade. Eles tendem a se reproduzir durante todo o ano, mas a reprodução é sazonal em algumas espécies. 

Predadores dos Tamanduás

Os principais predadores de tamanduás, ou seja, aqueles animais que podem caçá-lo para se alimentar são: os leões da montanha, as onças e os seres humanos.

A caça de tamanduás pelos homens é motivada por causa da carne, pele e também pelas garras, que são extremamente fortes.

Mamífero Ameaçado

O tamanduá-bandeira se adapta a uma grande variedade de habitats. Embora passe a maior parte do tempo no solo, é bem capaz de subir em árvores. Ele pode caçar seu alimento durante o dia ou à noite, dependendo se ele o clima muito quente ou se estiver chovendo.

Ele pode ser encontrado em pradarias abertas, cerrado (matagal), savanas e usa bosques e áreas florestais para descansar e se abrigar durante dias quentes, saindo para as áreas de savana aberta quando a temperatura não está tão alta. Por causa de sua versatilidade, o tamanduá-bandeira pode ser encontrado na maioria dos países da América Central e do Sul.

Conservação do Tamanduá

A quantidade de tamanduás tem diminuído em todo o mundo, o que resultou em populações dispersas e isoladas do animal. Além da caça, a perda de habitat por causa de invasões agrícolas e incêndios são os motivos pelos quais a população mundial de tamanduás está diminuindo.

Os tamanduás são classificados como animais quase em extinção, o que representa um sinal de alerta para que a espécie não entre em extinção.

As principais estratégias para a conservação do tamanduá-bandeira envolvem estudos para determinar seu status populacional, a manutenção e criação de unidades de conservação adequada, a implantação de corredores ecológicos, educação ambiental e a promoção de formas alternativas de desenvolvimento sustentável.

Devido às suas características ambientais, o Pantanal, uma das maiores zonas úmidas na Terra, é uma região prioritária para a conservação. No local ainda é relativamente fácil de encontrar um tamanduá-bandeira por causa das áreas abertas do cerrado. A conservação deste ecossistema é essencial para a sobrevivência da espécie.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Médios

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • muito otimor estam de parabens

    fabriciana 19 de abril de 2013 15:48

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *