Jararacuçu

É uma cobra cuja classe pertencente é Reptilia, de ordem Squamata, da família viperidae, e sub família crotalinae. O nome científico é Bothrops jararacuçu. É uma serpente venenosa que pode vir a alcançar até dois metros de comprimento. O nome vem da língua indígena, tupi guarani, ‘jarara’ quer dizer bote da cobra e ‘açu ou ainda ussu’ significa longo, grande, extenso, prolongado.

Venenosa

Traduzindo o nome jararacuçu para a língua portuguesa significa cobra que alcança longa distância em seus botes, ela pode vir a alcançar a distancia do seu tamanho, do seu comprimento. A exemplificar, se uma cobra que tem um metro e meio de comprimento, em seu bote a distancia do local do bote até a vítima será de um metro e meio, se a cobra tiver dois metros de comprimento, a distância será de dois metros.

Hábitos

É uma cobra venenosa. No Brasil, a cobra está entre as que mais atacam pessoas, pois os acidentes que envolvem picadas de cobras são as vindas dessa cobra. Ela pode injetar uma grande quantidade de veneno, sendo uma cobra bem perigosa e brava. Essa cobra possui uma coloração que varia entre preto, cinza, marrom, amarelo e ainda um tom rosado.

Ataque

Possuindo ainda manchas de formas triangulares de tom marrom escuro.
Ela pode ser encontrada em países como Bolívia, Paraguai, argentina e no Brasil, encontradas nos estados da Bahia, Mato Grosso e mesmo Rio Grande do Sul.

A procura por uma cobra em uma floresta é bem difícil, até mesmo para os que são bem treinados, por ela se camufla perfeitamente, passando assim quase sempre despercebida. Possuem hábitos noturnos, mas costumam tomar sol durante o dia para se aquecerem e caçam somente quando cai à noite. Essa é umas das cobras pertencentes ao gênero Bothrops que são consideradas as maiores.

Reprodução

Essa espécie de cobra apresenta dimorfismo sexual, sendo assim as fêmeas desta espécie são maiores do que os machos desta mesma espécie de cobra citada. Sendo temidas pela alta quantidade que podem injetar de veneno nas vítimas que são atacadas por elas.

A dieta desses répteis incluem pequenas aves, pequenos roedores, ainda pequenas aves juvenis, anfíbios de pequeno porte, alguns insetos e também minhocas. Possuem reprodução vivípara, ou seja, o embrião tem desenvolvimento completo dentro da mãe, se alimenta e respira, isso através do sangue materno. Dando a luz desde dezesseis a vinte e um filhotes, dando a luz geralmente no início da estação de chuvas.

Filhote

Segundo dados sobre picadas de cobras peçonhentas, no Brasil a cada ano cerca de vinte mil pessoas são picadas, e 0,43 por cento do casos causam a morte do paciente. Ceca de setenta e cinco por cento são picadas originárias de jararacas, gênero Bothrops, sete por cento são vindas de cascavéis, gênero Crotalus, três por cento por cobras não peçonhentas, um e meio por cento por surucucus, gênero Lachesis e meio por cento de corais verdadeiras, gênero Micrurus.
Jéssica Mendes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>