A Cobra Mais Venenosa Do Mundo

A cobra campeã mundial é da espécie taipan do interior, também chamada de Oxyuranus microlepidotus, uma serpente que existe apenas na Austrália. E para se ter uma idéia, ela é tão perigosa que deixa um rastro de veneno por onde passa e conta com um veneno suficiente para matar mais de 100 pessoas ou mesmo 250 mil camundongos.

Aqui no Brasil o ranking das cobras peçonhentas é liderado pela cobra coral verdadeira, que é uma parente distante desta espécie, ambas espécies fazem parte de uma família chamada Elapidae, esta que tem mais de 240 espécies que são altamente venenosas em todo o planeta, com exceção na Europa. Estimativas dizem que todos os anos deverão acontecer de um a dois milhões de acidentes envolvendo seres humanos e cobras tanto venenosas como não venenosas, e que mais de 50 mil já resultaram em mortes. As cobras venenosas são divididas em uma classificação específica de acordo com a sua classificação de veneno.

O primeiro grupo é considerado como o das cobras cujo veneno age no sistema nervoso periférido, causando uma parada respiratória, este é o caso da taipan e da coral. Já para as víborar, elas inoculam substâncias que podem ser tóxicas e provocam distúrbios durante a coagulação do sangue. Além disso ocorrem casos de hemorragias e necrose no local As serpentes marinhas por sua vez liberam uma espécie de veneno que é chamado de miotóxico, e que deverá causar a destruição de todas as fibras musculares e ainda insuficiência renal aguda.

Veja o Ranking Das Mais Perigosas, Classificadas Como Do Esquadrão Da Morte

No Brasil Podemos Encontrar Como:

  1. Coral-verdadeira (Micrurus sp.) Embora seja a mais venenosa, é responsável por apenas 1% dos acidentes com cobras no país
  2. Cascavel (Crotalus durissus) Cerca de 30% de suas vítimas morrem se não receberem soro antiofídico a tempo
  3. Surucucu-pico-de-jaca (Lachesis muta) Com mais de 3 metros, é a maior cobra venenosa da América Latina. A picada causa edema e hemorragia.

No Mundo

  1. Taipan do interior (Oxyuranus microlepidotus) Australiana. Sua picada pode causar paralisia respiratória, levando a vítima à morte em poucos minutos.
  2. Cobra marrom (Pseudonaja textilis) Também australiana. Uma única gota do seu veneno é suficiente para matar uma pessoa.
  3. Krait malasiana (Bungarus candidus) Vive no Sudeste asiático. É tão perigosa que 50% das vítimas morrem mesmo tomando soro antiofídico.

As Cobras Mais Perigosas Do Mundo

A lista a seguir se baseia exclusivamente no seu potencial de matar, sendo assim falaremos sobre as cobras mais perigosas do mundo, por isso é preciso pensar muito bem antes de cruzar o caminho de um destes exemplares de animais peçonhentos que existem no nosso mundo e utilizam este veneno para metabolizar o seu alimento.

A Bushmaster

Este exemplar pode ser encontrado facilmente nas florestas equatoriais da América do Sul, podendo facilmente chegar á 3 metros de comprimento, ás vezes é possível se encontrar exemplares com quase 5 metros, se tornando assim uma das maiores víboras existentes vivas do mundo. No Brasil elas são conhecidas como Surucucu, onde diz a lenda que elas sugam o leite de vagas e mulheres para dormir. Matam os bois na costa rica, e ainda trens de mula inteiras, de acordo com relatórios realizados recentemente sobre os exploradores da campanha Mundial cedo Novo.

Beaked Sea Snake

É também conhecida como a serpente do mar de nariz adunco, ou mesmo cobra do mar comum, esta é uma espécie bastante encontrada no litoral do oceano índico, Madagascar e também é possível se encontrar exemplares na Austrália. É bastante agressiva principalmente quando provocada, e é responsável por nove em cada dez mortes por picadas de cobras do mar.

Como a maior parte dos espécimes que vivem no mar, esta é uma espécie altamente venenosa, apesar do volume de veneno injetado ser baixo, e por este motivo as vítimas na maioria das vezes não procuram cuidados de saúde imediatos, depois já é tarde demais. A morte acontece com a paralisia do sistema respiratório ou mesmo a parada cardíaca em exatas 12 horas após a picada.

Carpet Viper

O exemplar Viper Serra, dimensionado ou mesmo tapete é relativamente pequeno, até 30 polegadas ou mesmo 75 centímetros, e mau humorado, é encontrada facilmente no norte do equador, na África e também no Oriente Médio. Este animal quando provocado, se move lentamente com o corpo enrolado em forma de S, produzindo um som peculiar com as suas escamas oblíquas quando se esfregam umas nas outras.

Russel’s Viper

É muito encontrada no subcontinente indiano, e ainda no sudeste da Ásia, esta víbora pode chegar a até 5,5 metros, as víboras Russel tendem a evitar florestas que são mais densas, preferindo ficar em campos abertos, áreas gramadas ou mesmo espessas. São normalmente calmas e lentas, e não reage a provocações, a menos que seja empurrada, o que faz com uqe ela se torna agressiva ao ponto de atacar com força que poderá levantar o seu corpo inteiro do chão, estas víboras ainda podem ser sensíveis ao calor como as jararacas apesar de não ter características como as delas.

Black Mamba

Do contrário que seu nome sugere, a Mamba preta não é negra, pelo menos no seu lado de fora, seu nome é derivado devido a cor preta que existe dentro de sua boca. Esta é uma serpente sub equatorial Africana, sendo detentora de um recorde para a cobra mais rápida do planeta, podendo se deslocar a até 23 km por hora. O seu tamanho não é nada amigável e poderá chegar a até 4,3 metros.

Tiger Snake

A Serpente Tigre feliz anda em torno do sul da Austrália e também da Tasmânia. Esta cobra poderá ter aparências muito diferenciadas porém normalmente contam com listras que lembram um tigre, e podem atingir a até 2 metros, são agressivas e anunciam a sua presença, o seu veneno tem a capacidade de matar 8 pessoas com apenas uma mordida, e mais de 13333 ratos de laboratório, sendo uma das mais venenosas do mundo, o que inspira muito cuidado.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Répteis

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *