Cobra Cipó

A Cobra-cipó é uma serpente que vive em ambientes com árvores. Costuma passar a maior parte do tempo de seu dia nas árvores, sendo quase sempre confundida com a vegetação da mesma. É uma cobra que pode atingir um comprimento médio de 1,2 metros sendo ela bastante ágil. É também uma cobra medrosa, que prefere fugir a brigar. Porém não exclui o fato de dar o bote caso se sinta ameaçada e sem saída. Alimenta-se de alguns, sapos, pererecas, rãs e já foi visto casos de se alimentar de outras serpentes.

Os Répteis e as Cobras

Répteis são animais de sangue frio com escamas/casca grossa cobrindo seu corpo e sua pele. Acredita-se que os répteis vêm evoluindo há 330 milhões de anos, e junto com isso, têm se desenvolvido várias habilidades. Eles dominaram toda a Terra e ainda habitam todos os continentes, exceto a Antártica. São exemplos de répteis: cobras, lagartos, crocodilos e jacarés, tartarugas, etc.

As cobras são animais rastejantes, com um aspecto que faz com que quase todas as pessoas tenham medo delas, mas nem todas as cobras são peçonhentas, ou seja, venenosas. Mas mesmo assim, há de se tomar muito cuidado em se tratando de cobras, pois apenas os estudiosos sabem ao certo dizer e diferencias as características de cada uma.

A Cobra Cipó ou Chironius

As cobras do tipo cipó é um tipo de cobra dos mencionados acima. Ela não é peçonhenta, mas apesar disso, ela pode ser bem assustadora, pois quando ameaçada ou quando se sente ameaçada ela se torna agressiva, e ataca e pica suas vítimas, mesmo não soltando nenhum veneno.

Considerada uma espécie de serpente que habita as regiões especialmente do continente americano ainda é rara em muitos países, que desconhecem sua origem e sistema de estudo.

Cobra Cipó em seu Habitat

Cobra Cipó em seu Habitat

Características da Chironius

Inserida dentro da classe e família dos Colibrídeos, a serpente possui hábitos diurnos em meio às florestas e matas tropicais, principalmente com grande número de umidade e chuvas. Chegando a medir cerca de 2m de comprimento, a cobra possui grandes olhos com a dilatação enorme de suas pupilas.

No Brasil a chironius carinatus é muito pouco conhecida, já que apresenta a denominação de cobra-cipó e sacabóia, bem diferente de outras denominações que recebe de forma científica, em outros países que habita.

Geralmente encontrada nas cores amareladas em detalhes com cinza e preto, essas serpentes são muito confundidas com os cipós das árvores que na cores amarelas e um pouco marrons dão um contraste no disfarce da serpente em meio à perigo junto ao seus predadores.

Chironius Carinatus

Chironius Carinatus

A Cobra Cipó é Venenosa?

Apesar de não ser peçonhenta, ou seja, não apresentar venenos perigosos com sua mordida, a cobra-cipó é extremamente agressiva e consegue escapar com muita facilidade quando se sente em perigo ou ameaçada de qualquer forma.

Muitos estudos e pesquisas apontam a mesma não tão extinta na biodiversidade, já que por sua vez não apresentam nenhum perigo de contaminação às comunidades próximas às matas e florestas e também pela sua alimentação. Na parte da alimentação assume a cadeia de ingerir diariamente de pequenos anfíbios, como as pererecas e também pequenas aves.

Com uma reprodução ovípara, as serpentes reproduzem cerca de 8 a 12 ovos por ninhada e matem-se sempre atentas aos perigos que rondam perto de seus ovos, já que muitas outras espécies se alimentam dos ovos da chironius carinatus.

Acutimbóia na árvore mostrando a língua

Acutimbóia na árvore mostrando a língua

Fotos das Espécies de Cobra Cipó

Chironius bicarinatus ou Cobra Cipó Verde

Chironius bicarinatus

Chironius bicarinatus

Chironius carinatus

Chironius carinatus

Chironius carinatus

Chironius exoletus

Chironius exoletus

Chironius exoletus

Chironius flavolineatus

Chironius flavolineatus

Chironius flavolineatus

Chironius fuscus

Chironius fuscus

Chironius fuscus

Chironius grandisquamis

Chironius grandisquamis

Chironius grandisquamis

Chironius laevicollis

Chironius laevicollis

Chironius laevicollis

Chironius laurenti

Chironius laurenti

Chironius laurenti

Chironius monticola

Chironius monticola

Chironius monticola

Chironius multiventris

Chironius multiventris

Chironius multiventris

Chironius quadricarinatus ou Cobra Cipó Marrom

Chironius quadricarinatus

Chironius quadricarinatus

Chironius scurrulus

Chironius scurrulus

Chironius scurrulus

Chironius vincenti

Chironius vincenti

Chironius vincenti

Habitat da Chironius

Segundo pesquisas e muitos relatos comprovados nas espécies de serpentes chironius a região de maior habitat brasileiro está certamente na baixa região dos rios da Amazônia, principalmente devido ao clima, temperado e úmido, propício à sobrevivência e reprodução das mesmas.

Especialmente nessas regiões essas cobras são muito confundidas com os cipós, principalmente os de coloração verde e marrom. Assim as populações próximas sempre se sentem ameaças com as árvores próximas às comunidades, já que a mordida da serpente é muito dolorida, apesar de não possuir veneno.

Realmente essas espécies habitam a Amazônia e valorizam ainda mais a região, tão bela, e exuberante quanto às espécies ali presentes, que sempre variam de acordo com as cores, tamanhos e total diversidade na fauna brasileira.

Habitat da Chironius Carinatus

Habitat da Chironius Carinatus

Corre risco de Extinção?

Felizmente a serpente não se encontra em extinção e garante mais uma espécie de enorme importância à biodiversidade brasileira, com registros de sua espécie e todos regulamentados pela proteção aos animais, como por exemplo, no IBAMA.

Cobra Cipó Marrom

A cobra cipó marrom pertence à família das cobras cipó. Essas cobras têm esse nome devido justamente a sua aparência física, que por atingirem um comprimento grande em relação às outras cobras e serem bem finas (e a espécie mais conhecida ser verde), elas parecem com cipós.

Características da Cobra Cipó Marrom

Esse seu aspecto físico é justamente devido à maneira com que geralmente é encontrada na natureza. Ela vive pendurada em árvores e galhos, e passa de árvore em árvore usando seu imenso corpo para se pendurar e ficar presa. Algumas cobras dessa espécie alcançam 1,20 metros de comprimento.

Cobra Cipó Marrom

Cobra Cipó Marrom

Habitat da Cobra Cipó Marrom

Tirando as cobras que vivem em cativeiros, a cobra cipó marrom é encontrada geralmente em matas e florestas. No Brasil, são encontradas nas regiões sul, sudeste e região central. Basicamente são lugares com vegetação presente e com umidade.

Alimentação

Elas atacam qualquer pessoa ou animal, mesmo que sejam maiores que elas, para se defenderem. Mas é claro, que só comem quando estão com fome, e animais menores que elas. Geralmente se alimentam de sapos e rãs ou outros anfíbios, ratos e camundongos, lagartos de menor porte e até pássaros que não conseguem fugir a tempo.

Cobra Cipó Marrom se Alimentando

Cobra Cipó Marrom se Alimentando

Reprodução

Essas cobras têm sexo definido, tendo cobras machos e cobras fêmeas. Elas se acasalam como as demais cobras, se enrolando uma na outra. Ocorre a fecundação dentro da fêmea e após o tempo de encubação ela bota os ovos (de 10 a 15).

Comportamento  da Cobra Cipó Marrom

Essas cobras têm hábitos diurnos, e como já se foi mencionado, elas passam grande parte do dia e também da vida em cima das árvores. Elas têm habilidades enormes para isso, além de serem muito rápidas.

Atualmente, a espécie encontra-se ameaçada pelo intenso tráfico e venda de animais, pois elas não se adéquam aos novos ambientes, fora as que morrem durante o transporte, e também pela destruição de seu habitat natural.

Por Carol C.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Répteis

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • meu deus e a 2 aqui em casa

    juliana 21 de janeiro de 2013 10:10
  • Tenho uma no quintal de casa! Tenso…

    Gisele 20 de março de 2014 18:08
  • Estou pesquisando sobre a cobra cipó marrom porque vi uma ontem nos arbustos em minha casa. Percebi o que parecia um graveto tipo de coqueirinho, cor marrom e cismei, observei algum tempo e constatei que era uma cobra cipó marrom. Eram cerca de 8 horas e batia o sol da manhã. Vou observar se a vejo novamente para fotografar.

    Renato 24 de abril de 2014 23:50

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *