O Tigre De Java

Os tigres, reconhecidos cientificamente como participantes do gênero Panthera Tigris, pertencem à família dos felídeos e são mamíferos. Eles são  um dos grandes gatos do gênero, sendo essencialmente carnívoros e predadores, se alimentando de pequenas e grandes presas, dependendo que mais lhe está a mão.

Conforme a espécie do tigre, já que são várias, um macho já adulto, chega a pesar algo em torno de trezentos quilos e medir aproximadamente 1,10 metros na altura e 3,50 metros de comprimento, medido desde a cabeça até a cauda. Esses animais possuem o hábito noturno para a caça, e mesmo sendo grandes têm a habilidade de chegar bem próximo a suas presas sem serem notados, por isso, conseguem dar o bote a pouca distância.

Dentre todos os animais carnívoros terrestres, os tigres são os que possuem os dentes maiores, pois podem medir até dez centímetros e as garras aproximadamente oito centímetros. Então, com todos esses atributos naturais, a força colocada em sua mordida pode ser considerada uma das mais potentes entre os animais da espécie.

Além disso, o tigre pode ser considerado como um ótimo nadador, e grande apreciando de água, ao contrário dos gatos domésticos, por exemplo, que também são felinos. Algumas pessoas já avistaram tigres nadando por uma grande extensão, algo em torno de cinco quilômetros.

Eles também são muito velozes e ágeis, também sendo capazes de passar por terrenos rochosos e ainda de escalar árvores mais robustas, de troncos grossos, mas somente quando tem um motivo muito forte para isso, o que não ocorre com frequência. Entre suas principais características estão as listras, visto que cada animal possui um padrão próprio, não havendo dois tigres que possuam o mesmo tipo de padrão. Essa característica pode ser facilmente comparada as digitais presentes nos seres humanos.

Subespécies De Tigres

Existem nove subespécies diferentes de tigre, e, dentre elas, três já estão totalmente extintas. Todas essas subespécies ocupavam uma grande área da qual fazem parte atualmente a Sibéria, Rússia,  Irã, Afeganistão, Cáucaso, e ainda a antiga Ásia Central Soviética, parte da Índia, China, e ainda todo o sudeste da Ásia, como também a Insulíndia (que compreendem as Ilhas de Bali, Java e Sumatra).

Grande parte desses animais não existe mais em muitos dos países citados acima, e uma delas é a do Tigre de Java.

Tigre De Java

O Tigre de Java, ou Panthera tigris sondaica, habitava originalmente a ilha de Java, localizada na Indonésia, daí seu nome. Mas como muitas outras subespécies de animais, já está extinto há mais de 50 anos. 

Principais Características

Assim como o tigre de sumatra, o Tigre de Java apresentava uma coloração da pelagem em tom mais escuro em relação aos demais animais, tendo ainda uma forma mais delgado. Esse animal geralmente pesava 80 a 120 quilos, porém, apesar do tamanho era considerado como a segunda menor espécie de tigre, só ficando atrás do tigre de bali.

No ano de 1950 todos os animais dessa espécie ficaram reduzidos ao mínimo, sendo encontrados apenas entre 20 a 25 tigres avistados na natureza. 

Processo De Extinção

Estudos feitos na ilha Java foram capazes de encontrar fósseis dos tigres primitivos, chamados de Panthera tigris trinilensis, com aproximadamente 1,2 milhões de anos. Sinal de que esses animais sempre encontraram no local, boas condições de sobrevivência.

No entanto, os Tigres de Java que temos conhecimento não tiveram origem nos fosseis encontrados, e sim de animais que migraram do Sudeste Asiático. Processo que aconteceu entre o fim do período Pleistoceno e início do Holoceno. 

Até o fim do século XIX esses animais foram bastante abundantes na ilha de Java, entretanto, com o aparecimento maior de pessoas na ilha e, consequentemente, a diminuição da área de florestas para o plantio e construção de residências, os tigres foram sumindo. Além de tudo, esses animais passaram a ser caçados por causa do valor de sua pele, e também por maldade, que chamavam de esporte. E, conforme ia desaparecendo a comida, os tigres tinham que atacar o que lhes parece mais fácil, então, os fazendeiros acabavam matando os felinos para defender seu rebanho.

Como resultado da escassez de alimento e espaço, o tigre teve de passar a competir com os demais predadores locais, como os cães selvagens e leopardos. Em um breve período de passagem de tempo, não superior a 100 anos, o Tigre de Java passou do posto de praga na ilha, a um animal em risco de extinção.

A partir da década de 50 o número de Tigres de Java não passava dos 25 indivíduos livres na natureza, e passaram a ser extintos na década de 60, nem sendo mesmo avistados no Parque Nacional de Ujung Kulon, uma reserva natural local onde os animais viviam em segurança.

O último lugar de refúgio desses animais na Ilha de Java foi uma distante e montanhosa área localizada ao sudeste, chamada de Meru-Betiri, que ainda em 1972 passou também a ser protegida. Ainda nesse mesmo ano aconteceu o último avistamento de um Tigre de Java na localidade, e somente em 1979 foram encontradas pegadas de animais que correspondiam a três sujeitos diferentes.

Desde a década de 70 não tem havido mais evidências criveis da existência do Tigre de Java, apesar de ter ocorrido alguns possíveis registros visuais em Meru-Betiri, que a maioria dos estudiosos acredita ser na verdade, apenas leopardos.

Havia alguns Tigres de Java espalhados pelos jardins zoológicos em Berlim e também em diversas cidades da Indonésia. Foram construídas reservas com a finalidade de tentar manter a população desses animais, mas as mesmas eram bem pequenas e impossíveis de sustentar um grande número desses animais. 

Com isso, e com o episódio da eclosão da Segunda Guerra Mundial, a espécie se perdeu totalmente, sem que mesmo houvesse tempo de se tentar uma procriação natural ou a possibilidade de salvar mais Tigres de Java.

Em razão da invasão humana em áreas de preservação natural das espécies, e com o desmatamento do habitat natural das mesmas, os Tigres de Java somente podem ser vistos em gravuras, desenhos e em fotografias. O problema é que não somente esses animais se extinguiram, mas ainda muitos outros cuja beleza não mais será resgatada e nem apreciada. 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Mamíferos

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • ameiii essa pagina adoro animas……….:))

    karen 5 de maio de 2013 22:51

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *