Pulga (Ordem Siphonaptera)

Todos que têm cachorros ou gatos devem bem saber o que é uma pulga e o quanto ela pode incomodar nossa vida. Elas são parasitas e estão presentes nos lugares, especialmente aqueles mais sujos, especialmente empoeirados.

O Que São As Pulgas

São insetos chamados cientificamente de sifonápteros ou Siphonaptera, apesar de pertencerem à ordem dos insetos, não possuem asas. Elas são parasitas, mas atuam na parte de fora dos organismos e assim como muitos outros, se alimentam do sangue, especialmente de aves e mamíferos, o que inclui os seres humanos.

Apesar de parecerem bastante inofensivos, podem transmitir graves doenças, tais como peste bubônica e tifo.

Animais Mais Afetados

Normalmente elas afetam cachorros e gatos, que são os animais domésticos que mais estão em contato com os homens. Todas as pulgas precisam de um hospedeiro para se protegerem e alimentarem, passando toda sua existência em contato com os animais.

Esses insetos provocam grande incômodo em decorrência das picadas, e além das coceiras ainda transmitem parasitas do sangue, vermes e podem desencadear diversos processos alérgicos, minimizando a qualidade de vida dos pets. As pulgas Segundo informações, esse inseto pode chegar a saltar numa distância aproximada de um metro, o que seria equivalente, proporcionalmente ao tamanho de um adulto, se um de nós saltasse a distância de um campo de futebol.

Por terem um tamanho bem pequeno, cerca de 05 milímetros de comprimento ficam bem difíceis de serem localizadas e apanhadas, se esconde com bastante facilidade em poeira.

Famílias De Pulgas

Elas são dividas conforme o hospedeiro que preferem: Pulicidae – pulgas comuns Tungidae – bicho-de-pé Coptopsyllidae Leptopsyllidae – aves e coelhos Rhopalopsyllidae – marsupiais Hypsophthalmidae Stephanocircidae – roedores Pygiopsyllidae Vermipsyllidae – carnívoros Hystrichopsyllidae – ratos Ceratophyllidae Malacopsyllidae Ischnopsyllidae – morcegos Dolichopsyllidae – roedores Ctenopsyllidae Amphipsyllidae Pulicidae: elas são reconhecidamente as pulgas comuns, e pertencem ao grupo pulguíneo: e podem sofrer atração pelos animais domésticos e além desses, podem se alojar nos seres humanos, mas não em tanta quantidade quanto nos animais.

Além de outras doenças elas podem ainda transmitir a peste bubônica, levando a gerar bulbos na pele, ocasionando muitas dores sempre que estouram.

Pulga Doméstica

A pulga doméstica recebe o nome de Pulex Irritans sendo o gênero mais conhecido, e tem como hospedeiro principal o ser humano. Há aproximadamente 1900 espécies mais conhecidas de pulgas, entretanto, aquelas têm importância relacionada à saúde pública e na medicina, além da doméstica são:

  • Xenopsylla cheops, que se alojam nos ratos
  • Ctenocephalis canis, que cujo próprio nome diz, faz os cães de hospedeiros.
  • Ctenocephalides felix, que se aloja nos gatos.

Mesmo preferindo esses hospedeiros em especial, todas essas espécies também podem parasitar o ser humano e, e sendo hematófagos, podem ainda passar ao homem muitas enfermidades trazidas por estes animais. O consumo de sangue por este parasita é de grande importância para que seus ovos se tornem maduros.

O processo é simples, os ovos atingem a maturidade, caem no lugar onde vive o hospedeiro, cumprem o tempo de incubação que varia entre 9 a 200 dias, dependendo de temperatura, umidade, e ainda outros. Depois disso, a larva passará a se alimentar de substâncias secas e ainda de fezes das pulgas já adultas que estão no local.

Logo depois disso, começa o estágio pupal, onde a pupa se desenvolverá dentro do casulo, contando também com o clima e ambiente. Quase sempre o desenvolvimento total demora cerca de 30 dias no verão, enquanto que no inverno, esse prazo é aumentado em bastante tempo.

Logo que estão adultas, buscam um hospedeiro certo para poderem se alimentar e darem inícios ao ciclo. As picadas de pulgas nos humanos Em decorrência das picadas, ocorre a irritação da pele seguida de coceira, causando um enorme desconforto e irritação no indivíduo que sofre com o inseto.

A coceira e a irritação são originadas por uma substância que está contida na saliva da pulga, ela injeta esta substância no lugar da picada para que não ocorra a coagulação do sangue, resultando em lesões mais agravadas e também eczemas em pessoas que têm alergia a esta saliva. A seriedade do parasitismo depende especialmente da quantidade de pulgas que estão presentes no local e nos animais.

Quando não ocorre o tratamento, bem como o aumento dos insetos, a perda de sangue pode ocasionar numa anemia. O mal estar gerado também pode gerar importantes implicações psicológicas em seres humanos e também em animais de produção, levando a perdas econômicas, decorrentes da queda no aumento do peso e ainda na diminuição da produção leiteira.

Como já informamos, esses insetos são vetores de diversas enfermidades, sendo que uma delas foi um enorme problema para a humanidade ao final da Idade Média, a peste bubônica. Além desta, que chegou a dizimar milhares de pessoas à época, ainda transmitem o M. Albus, Micrococcus aureus, e o Bacillus Pyocyneus.

Estes insetos são transmissores, através de animais domésticos, de parasitais intestinais, a exemplo do Dipylidium caninum. Para que essa doença não tome conta de seu cão é preciso que haja um combate às pulgas. O combate ao parasita é executado através de drogas veterinárias específicas.

Além disso, há de ser sabido o ciclo de vida do inseto para se faça um combate mais eficiente, inclusive executando uma limpeza geral no ambiente onde o animal fica maior parte do tempo. A limpeza do animal e do ambiente não pode ser efetuada apenas uma vez ou outra, sendo necessário um combate efetivo contra o parasita, higienização o animal no mínimo de 15 em 15 dias e do lugar todos os dias ou toda a semana, para que não ocorram infestações.

Há no mercado produtos e medicamentos que podem ser usados nos animais para combater as pulgas, mas é importante que um veterinário seja consultado para saber qual tratamento é o mais adequado, se será a base de xampus, sabonetes, aplicações de remédios, entre outros. Salientamos que ter um animal de estimação implica em cuidar do mesmo como se fosse um membro da família, já que um bichinho doente pode transmitir doenças também para as pessoas da casa.

Se proteger das pulgas é uma medida importante para se preservar a saúde, especialmente a de crianças.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Insetos e Aranhas

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *