Formiga

As formigas fazem parte da família Formicidae, o mais numeroso grupo dentre aqueles que agrupam insetos. Elas são insetos interessantes particularmente, pois compõem avançados níveis de sociedade. Todas as formigas, algumas abelhas e vespas, são tidas como indivíduos eusociais, que compõem a ordem Hymenoptera.

As formigas estão inseridas numa única família, Formicidae, da qual fazem parte 12.585 espécies, isso em 2010, e distribuídas em todas as partes da terra, excetuando-se as regiões polares. Elas são a que têm maior sucesso dentre os animais do planeta, fazendo parte de 15% a 20% da biomassa animal da terra.

A Origem

Acredita-se que o as formigas tenham surgido na Terra ainda no período Cretáceo, ou seja, cerca de 100 milhões de anos, e que sua evolução tenha se dado a começar das vespas surgidas ainda no período Jurássico. Denomina-se mirmecologia o estudo das formigas.

Imagina-se que todas as formigas somadas tenham peso maior que o de todas as pessoas. No caso das formigas-rainhas, as mesmas são capazes de gerar até 300 mil novas formigas numa semana apenas.

As Formigas em Sociedade

Ainda que nem todos os tipos de formigas costumem construir formigueiros, muitas são capazes de criar obras autênticas de engenharia, quase sempre subterrâneas, com um sistema complexo de câmaras e túneis com especiais funções, aposentos para a rainha, locais para o armazenamento de alimentos, locais onde as larvas são tratadas, o “berçário”, e muitos outros.

Tais aglomerados têm sua organização feita a partir da divisão de tarefas, que são denominados como castas. As tarefas costumeiramente são distribuídas de acordo com a idade e/ou tamanho do indivíduo.

A reprodução da espécie é feita pelos machos e pelas rainhas, sendo realizada por meio do voo nupcial. A rainha habita o interior do formigueiro, tendo tamanho bem maior as demais formigas, e, depois de fecundada perde suas asas, pondo seus ovos até sua morte.

Os indivíduos machos somente surgem quando é preciso fazer a fecundação de uma nova rainha, o que ocorre no decorrer de uma revoada da qual faze parte machos alados e milhares de fêmeas; após a fecundação, os machos não possuem autorização para adentrar o formigueiro, por isso, acabam morrendo rapidamente.

As funções restantes (busca de alimento, defesa e construção do formigueiro, dentre outras)são executadas pelas obreiras fêmeas (elas não contam com asas, já que assim conseguem uma maior habilidade de movimentação dentro do formigueiro) que são estéreis. Em determinadas espécies, essas formigas que executam diversas funções estão separadas em castas. Quase sempre, as que se estão encarregadas da defesa ou do ataque, já que determinadas espécies também predam animais que têm tamanho maior que o delas, contam com boca e o maxilar extremamente forte e grande.

Há ainda outras duas funções: a de soldado e a de operário. As operárias são responsáveis por cuidar da cria (larvas, ovos e pupas), pegam o alimento e executam a limpeza do formigueiro. Enquanto que as formigas soldados fazem a guarda da entrada do formigueiro sem ao menos chegarem a descansar.

Em muitos casos os cupins ou térmitas, são confundidos com as formigas, mas eles fazem parte de grupos diferentes delas.

As formigas são distintas dos demais insetos, por apresentarem:

  • As fêmeas apresentam elementos bucais no ácron, portanto são prognatas
  • Apresentam uma casta sem asas, as obreiras;
  • Apresentam entre a hipofaringe e o lábio um saco infrabucal;
  • Contam com uma articulação das antenas;
  • As fêmeas apresentam uma glândula metapleural, com abertura nas patas posteriores;
  • O terceiro e o segundo segmento do abdômen formam um pecíolo em determinadas espécies;
  • Não há a presença de nervuras ramificadas nas asas anteriores;
  • Após a cópula a rainha fica sem suas asas.

Variedades de Formigas

As formigas-correição estão presentes desde a África até e a América do Sul, e têm como principal característica a de não construir formigueiros permanentes, alternando entre uma vida de abrigos temporários e a vida nômade, sendo que os abrigos são compostos por meio das obreiras. As sociedades podem se reproduzir por meio da divisão grupal e dos voos nupciais, na divisão uma parte das obreiras se divide e constrói um ninho novo para criar rainhas novas. Cada um dos membros dos grupos são diferenciados através do olfato e, quase sempre costumam atacar os intrusos.

Destas formigas, muitas tendem a atacar outros formigueiros, pegam suas pupas e as criam como se fossem obreiras. Determinadas espécies, tais como a formiga da Amazônia, passaram a ser dependentes destas obreiras, sendo até mesmo incapazes de se alimentar sem elas.

As formigas-tecelãs fazem seus ninhos a partir das folhas, juntas formam pontes de obreiras e após cosem as folhas com a seda.

As formigas-pote-de-mel geram especiais obreiras, cuja principal função é a de juntar comida em seus próprios corpos para alimentar o restante do grupo, geralmente ficando imobilizadas, com barrigas repletas de comida. Em lugares secos, ainda que desérticos, elas são consideradas com um delicioso petisco.

As formigas-cortadoras dos gêneros  Acromyrmex e Atta fazem parte da tribo Attini, e vivem apenas nas Américas, indo da Argentina até a parte Sul dos EUA. Contrariamente ao que se espera, elas não se alimentam das folhas que pegam, mas o fazem a partir do fungo cultivado no interior do formigueiro.

Elas contam com diversas castas, que apresentam especificas funções para compor a manutenção da colônia (soldados, operárias, operárias do jardim). Umas carregam ou cortam as folhas, ramos e flores, outras são responsáveis pela defesa e/ou limpeza da colônia, e outras cuidam dos filhotes, chamados de larvas, ou devem cuidar do cultivo do fungo.

As formigas que pertencem à casta das jardineiras são aquelas que promovem o corte das folhas, e ao fazer isso, já se alimentam da seiva retirada. As folhas são levadas para dentro do formigueiro, onde outras castas de formigas serão encarregadas de triturá-las para conseguir cultivar o fungo de cor esbranquiçada que é a fonte de alimentação das formigas.

Tempo de Vida

Desde quando são ainda ovos, até atingirem a fase adulta, as formigas chegam a demorar até 10 semanas. Geralmente as operárias chegam a sobreviver por alguns meses, sendo que algumas delas por até três anos. Quase sempre as rainhas tendem a viver mais tempo que as operárias, quando o maior tempo de vida foi observado na espécie Pogonomyrmex owyheei, que viveu durante trinta anos. Aparentemente as formigas tendem a ter maior longevidade quando recebem como alimento o mel de rainha.

As formigas são insetos diferentes. Considerados por muitos por “insetos trabalhadores”, as formigas passam dia e noite em busca de alimento. Possuem seis patas, três em cada lado de seu abdômem, duas antenas e dois ferrões, que são usados para segurar folhas ou alimentos. Seus ferrões podem servir também para atacar predadores que chegam perto, injetando uma dose de ácido fórmico (não letal para os humanos) que leva o predador a ter irritações em sua pele. Nos seres humanos essa sensação é uma breve coceira que pode ser aliviada com álcool.

Como vivem em bando, sua comunicação pode ser feita através de dois jeitos: utilizando suas antenas ou por uma substância chamada feromônio. Por feromônio, as formigas quando estão em busca de alimento, saem para diversos lugares espalhados, cada uma procurando por algo que lhe possa ser útil. Assim que é encontrado, essa formiga batedora volta ao formigueiro deixando um rastro dessa substância e avisa às outras que achou alimento. Em função disso, as outras formigas seguem o odor exalado e vão em busca do alimento. Enquanto elas percorrem esse caminho, todas as formigas vão reforçando esse rastro expelindo mais feromônios. Caso o caminho seja bloqueado por algum objeto, elas procuram outro meio de chegar ao alimento, e assim que encontram, marcam seu caminho novamente.

Utilizando-se das antenas, em lugares onde alguns odores possam atrapalhar a captação do feromônio, as formigas sempre que estão traçando um caminho e encontram com outras, encostam levemente suas antenas uma nas outras como se estivem passando coordenadas de para onde elas devem seguir.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Insetos e Aranhas

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *