Aranha-Violinista

Aranha Marrom, Características Gerais das Variadas Espécies

As aranhas marrons são espécies invertebradas, e pertencem ao gênero Loxosceles, são espécies muito conhecidas. São amarronzadas e de tons variantes e podem ser encontradas em todo o mundo. Estas são as aranhas que mais causam morte no mundo, e dentre as espécies de aranhas brasileiras, é a que tem o veneno mais tóxico. São encontradas em áreas livres, de modo padronizados em frestas, entre folhas, troncos secos. As espécies venenosas não fazem teias padrões, suas teias são mais brancas que as outras, sendo mais ativas durante o verão e no período noturno. Costumam caçar pequenos insetos como grilos e gafanhotos.

As aranhas marrom não são agressivas, somente atacam quando se sentem ameaçadas, ou quando alguém toca nelas. Sua picada não é dolorida, mas depois de umas 10 horas, a região em que ocorreu a picada começa a ficar dolorida e inchada, podendo ser acompanhada por vermelhidão e coceira. Seu veneno é hemolítico, ou seja, ele pode espalhar pelo corpo trazendo danos e acarretando sintomas como febre, urina escura, podendo gerar falência renal e até mesmo a morte.

Em caso de picadas, o mais indicado é procurar algum posto de saúde ou hospital, e é contra indicado tentar apertar a região a fim de tentar expurgar o veneno, já que este processo somente apressa a necrose da pele. É orientação médica lavar a região com bastante água e sabão e deixar a região em repouso, além de procurar ajuda média.

Aranha Violinista

A aranha violinista, cujo nome científico é Loxosceles reclusa, é uma das aranha mais conhecidas do mundo dado a sua periculosidade e nocividade à vida dos seres vivos, e pertence às espécies de aranha marrom. É chamada por este nome, já que para alguns cientistas, em sua carapaça mais grossa há uma marca delimitada que se assemelha muito a um violino. É uma aranha de pequeno porte, com cores que variam do marrom ao amarelo. As espécies fêmeas possuem um tamanho de aproximadamente 9 milímetros e os machos de 10 milímetros. É uma espécie relativamente fácil de reconhecimento, dado suas características peculiares, mas também é possível confundi-las com outras aranhas menores e amarronzadas. Esta aranha possui apenas 6 olhos, diferentemente do que ocorrem com outras espécies que possuem 8 olhos. Seus olhos são organizados em fileiras recurvadas, ou seja, os olhos medianos são mais distantes das laterais, se os olhos não forem assim distribuídos, não são aranhas violinistas.

Distribuição Geográfica e Periculosidade

Como já citado acima, esta espécie se faz conhecida dada sua periculosidade, já que suas mordidas podem causar necrose à pele e outros sintomas considerados graves como infecções por Staphylococcus aureus. Estas podem causar úlceras e causar reações graves. Estas passaram a ser documentadas cientificamente a partir de um surto da espécie que ocorreu em meados do século XX na região que compreende a América do Norte, quando passou a ser uma ameaça à saúde pública.

Existem cerca de 100 espécies de Loxosceles, sendo que 33 destas são encontradas frequentemente na América do Sul e 51 delas são nativas da América do Norte. Esta espécie, Brown Recluse ( outro nome em inglês) é encontrada normalmente no centro-sul e sul dos Estados Unidos. Há poucas evidencias de que esta espécie seja encontradas em outras regiões além da já descrita, que compreende a faixa sudeste de Nebraska, Ohio, sul do Texas, norte da Geórgia e oeste da Carolina do Sul.

Locais Específicos as Quais Podem ser Encontradas

São espécies, como o próprio nome sugere, ‘reclusa’ e fendas e locais estreitos e apertados. Na natureza pode ser encontrada embaixo de cascas de árvores e pedras. Em locais habitados por seres humanos podem se encontrar em caixas de papelão, estantes, armários, cômodas, móveis em geral, sob o concreto, roupas e sapatos deixados no chão, garagem. Em condições sinantrópicas, estas são encontradas em alta densidade. Para se ter ideia, houveram casos de se recolher 1500 marrons reclusas durante 3 dias em um celeiro em Oklahoma.

Hábitos da Aranha Violinista e Reprodução

Estas aranhas são aracnídeos ativos, e não fazem teias como outras aranhas para caçar, ao invés disso elas fazem linhas de seda estendidas, sendo mais um indicativo de alerta a sua presença em determinado local.

A reprodução da espécie é feita a partir de uma dança do acasalamento por parte do macho, se a fêmea aceita a cópula, ela enrola os gametas do macho em uma teia e deposita estes em seu receptáculo seminal para a fertilização. Os ovos são envoltos em um casulo e fixa em algum local, podendo ser em uma planta ou na própria seda.

Principais Espécies Encontradas no Continente Americano

Neste tópico listaremos algumas espécies da família Loxosceles e região onde são comumente encontradas.

  • Loxosceles hirsuta – Encontrada na América Latina, Paraguai, Argentina, Bolívia e Brasil, nos estados de São Paulo, Minas Gerias, Rio Grande do Sul e Paraná.
  • Loxosceles similis – Encontrada no estados de Pará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo.
  • Loxosceles adelaida – Presente no Paraguai, Argentina e Brasil ( Rio de Janeiro e São Paulo).
  • Loxosceles rufescens – Encontrada principalmente no Mediterrâneo, Europa e África do Norte.
  • Loxosceles reclusa ( aranha violinista ) – Encontrada na América do Norte
  • Loxosceles rufipes – Difundida no Chile, Guatemala, Colômbia e Panamá. 
  • Loxosceles laeta – Encontrada na Finlândia, Austrália e Brasil, nas regiões do sul, sudeste e nordeste.
  • Loxosceles variegata – Presente somente no Paraguai.
  • Loxosceles intermedia – Pode ser conhecida também por L. ornatus e L. ornata, são encontradas na Argentina e no Brasil, no estado de Goiás e regiões sul e sudeste.
  • Loxosceles spadicea – É espécie nativa dos países da Bolívia, Argentina e Peru.
  • Loxosceles gaucho – Espécie encontrada na Tunísia e nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerias, Santa Catarina e Paraná no Brasil
  • Loxosceles amazonica – Esta é encontrada no território brasileiro, nos estados do norte e nordeste.
  • Loxosceles lutea – É nativa da Colômbia e Equador. 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Insetos e Aranhas

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *