Gatos Podem Ser Sociabilizados?

Muitos donos de animais têm aquela velha opinião de que só os cachorros podem ser aprender e só eles podem ser receptivos e dóceis com seus amigos ou eventuais visitantes da sua casa. Mas ao contrário do que a maioria pensa, os gatos também podem ser ensinados e sociabilizados com as pessoas e outros animais, para ter uma convivência melhor e sem riscos com todos que entram na sua casa, e bem mais estreita e amigável com você. Os gatos aprendem através de estímulos e recompensas, e sabendo usar esse processo de forma paciente e gradual, conseguimos gatos alegres e sem medo das pessoas, que brincam e não machucam ninguém. Independente da raça, eduque seu gatos evite um comportamento ruim.

Dicas Para a Educação e Sociabilização

Da mesma forma que os cães, os gatos devem ser ensinados a conviver com outros animais, o processo que é chamado de sociabilização. Para a sociabilização de um gato ter um efeito melhor e mais rápido, é preciso iniciar no tempo certo. O melhor período para isso é da segunda a sétima semana de vida do bichinho, período ideal para familiarizar seu gatinho com outros animais, e ambientes, inclusive com cachorros e seres humanos. Essa fase específica da vida dos gatos é o tempo em que eles adquirem ligações de forma mais rápida com as possíveis novidades, indivíduos e lugares a que for apresentado.

Se esse período passar e a sociabilização do gato não for feita de forma apropriada, ela poderá sim ser realizada mais tarde, mas vai requerer do dono e do bichinho mais tempo e paciência para que o processo dê certo. Essa manipulação do gato desde cedo é ideal para que suas relações sociais fiquei mais leves e sua aceitação às novidades seja mais rápida, construindo uma personalidade mais flexível e tolerante do gatinho, devido a um desenvolvimento favorável do seu sistema nervoso central.

A sociabilização do gato é demorada, e pode ser um processo que exige muita paciência. Os gatos são ariscos por natureza, e tendem a agir com certa cautela quando apresentados a novidades. Porém esse processo funciona e deixa ambos mais felizes, dono e bicho. Se essa sociabilização e flexibilização do gato não for feita de forma correta, o gato pode apresentar extrema dificuldade a se acostumar com qualquer novidade que se apresente. O gato se torna medroso e arredio, temendo outros animais e outras pessoas, muitas vezes nunca saindo da própria casa. Mesmo com você ele acaba se tornando defensivo, por vezes mudando de temperamento e algumas vezes sendo até violento, devido a um medo maior que adquira. Um gato não sociabilizado não aceita visitas na sua casa, e não possui uma vida saudável em relação ao ambiente ao seu redor.

Logo que seu gatinho chegar no novo lar(a sua casa), apresente-o de forma segura e tome um tempo esperando que ele se acostume com tudo, para que o processo não seja de forma nenhuma traumático para ele. Sempre o acaricie quando chegar próximo a você, e utilize o sistema de recompensas sempre que ele fizer algo merecedor. Para isso, utilize um alimento que ele gosta muito, geralmente algo diferente da ração tradicional que ele come todos os dias. E, quando ele reagir bem a outra pessoa, outro animal ou a algum som que o deixe inicialmente com medo, dê um pouco dessa comida a ele.

Gatos da mesma forma que cachorros reagem muito bem a esse sistema de recompensas por comida, e passam a entender o que o dono espera que ele faça, e percebe aos poucos que o que lhe dava medo não oferece perigo algum. Isso pode ser muito útil inclusive com alguma barulhos que geralmente assustam o bicho, como do secador de cabelo, aspirador de pó ou lavadora de roupas.

Etiqueta Do Seu Gato

Alguns pontos são importantes para a boa educação do seu gato. Muitos gatos, por exemplo, são difíceis de lidar e acabam sofrendo sem necessidade em pet shops na hora do banho ou de cortar as unhas. Para reduzir esse conflito, desde pequeno acostume o seu gato aos toques em partes menos comuns do seu corpo, como patas, rabo e boca, assim ele não se sentirá tão ameaçado quando alguém no pet shop tentar escovar seus dentes.

Outro ponto importante na sociabilização e educação do seu gato é seu aspecto predatório. Gatos caçam, isso está na sua natureza e nada vai tirar isso deles. Eles pulam, arranham e modem o tempo todo, esse comportamento fazendo parte do seu “treinamento” para uma caça perfeita. Por isso, incentive seu gato a caçar, mas utilize brinquedos que o estimule.

Há brinquedos em pet shops específicos para gatos e que os ajudam a trabalhar esse aspecto mais violento, e há muitos brinquedos que podem também ser feitos em casa, como bolinhas de papel presas em barbante, rolos de papel higiênico(vazios, claro) e muitos outros que acabam virando brinquedos eventuais. Mas, utilizar brinquedos evita que seu gato arranhe e morda você e as pessoas que frequentam a sua casa. Se ele não tiver brinquedos para se ocupar, ele vai pegar e morder qualquer coisa que se mexe. Isso inclui pés, barras de vestido, cachecóis, fraldas de bebê e muitas outras coisas que podem se tornar desagradáveis.

Cães e Gatos

Ao contrário do que os não-criadores pensam, cães e gatos podem ser bons amigos. Mas para isso devem ter uma convivência desde bem pequenos, ou acostumados a outra espécie desde cedo. Se um cachorro desde filhote for apresentado a gatos e conviver com eles na mesma casa, não caçará gatos. Se gatos forem apresentados a cachorros nas primeiras semanas de vida, não vão temer a presença desses. Logicamente há algumas raças de cães que não são tão dóceis e acabam por ser intolerantes a gatos, e o melhor mesmo é evitar alguma tragédia. Mas muitas raças de cachorros que foram treinados e acostumados convivem com os gatos em paz. Para um começo de relação, segure o gato nas mãos e deixe o cachorro sentir seu cheiro.

Deixe-os próximos e fique sempre supervisionando o comportamento dos dois. Muitas vezes, mesmo se o cachorro não oferecer perigo o gato ataca, se não estiver corretamente sociabilizado ou acostumado às novidades, como comentamos anteriormente. Mas os donos devem perceber o potencial dos gatos e a tranquilidades dos cachorros e, se possível, tentar uma interação saudável.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Felinos

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • foi interessante ler isso

    Liz 6 de abril de 2015 23:14

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *