Como Lidar Com o Envelhecimento Felino?

Um gato em bom estado de saúde costuma viver entre 14 e 17 anos, mas pode sim viver mais se receber os cuidados adequados. E contrariando as lendas populares, eles não possuem sete vidas e os cuidados são necessários. Quando os gatos chegam em sua fase idosa, é o período de maior atenção dos donos com seus pets.

Os gatos se tornam idosos com 12 anos em média, um pouco mais que os cachorros. E assim como os humanos, os gatos começam a ficar mais lentos, menos energéticos e precisar de cuidados médicos e no dia a dia essenciais. Eles não vão andar de ‘andajá ou cadeira de rodas, mas com certeza sua rotina vai mudar.

Os Sinais De Que Seu Gato Está Ficando Mais Velho

No visual, o gato idoso não muda quase nada. Ele continua com os pelos da mesma cor, sem pelinhos brancos e ainda amigável e dorminhoco de dia, como todo gato. Mas os sinais da idade avançadas são bem notórios: ele já não corre e brinca mais pela casa como antes, já não come tanto e de tudo e não vai destruir mais seus sapatos. Ele é um gato cansado, um senhor.

A mobilidade do gato é o principal ponto de mudança, por isso ele não vai tentar dormir em locais altos ou pular muros como fazia antes. Os gatos idosos costumam ficar extremamente caseiros e até pedir ajuda para a porta ser aberta se quiserem sair um pouco. Costumam dormir bem mais que os mais jovens, com poucos períodos de atividade em casa.

Acompanhamento Com o Veterinário é Crucial

Da mesma forma como os humanos são levados ao médicos quando a idade avança, o gato também deve ser acompanhado por um veterinário. Os donos costumam se prevenir contra doenças da idade, como artrite e artrose, problemas de audição e de visão, e o mesmo deve ser feito com os gatos. Muitos dos problemas do avanço da idade podem ser combatidos ou melhorar a qualidade de vida do animal apenas com uma visita constante ao veterinário.

A frequência não é semanal, pois seria um exagero, mas ao menos a cada três meses é importante. Você pode direcionar o animal para uma consulta clínica sempre que sentir uma mudança no comportamento e nos hábitos alimentares drástica, mas sem eliminar o acompanhamento de outros problemas maiores.

Adapte o Ambiente Para o Animal

O seu gato velho terá menos cálcio nos ossos e menos mobilidade, mas seus instintos o tentarão a ir para os locais mais altos ou escalar espaços como fazia quando jovem. Ele poderá quebrar ossos com facilidade e em acidentes que jamais causariam mal ao seu corpo quando filhote. Por isso deve-se evitar alguns acessórios em casa, se possível, como pranchas estantes e outros móveis muito altos.

O cuidado com as telas passa a ser redobrado por conta da idade. Com falta de mobilidade e energia, o animal deverá estar propenso a mais acidentes que o normal, por isso invista em telas com furos menores. Eles já não estão tão fortes para cortar ou morder a tela e podem se machucar muito mais facilmente. Uma manutenção na tela com o passar dos anos é crucial.

Mude a Ração

Existem três tipos de ração para gato: para filhotes, para adultos e para idosos. A ração para idosos é mais nutritiva em pouca quantidade, por isso ela deve ser ministrada para animais com mais de 10 anos de idade. Neste período o animal começa a ficar fraco e alimentar-se menos, e precisa da maior quantidade de ingredientes por refeição possível.

Comece também a comprar rações menores e mais trituradas, podendo ser necessário até triturar a ração do animal. O gato mais velho terá algumas dificuldades de digestão, por isso pode ser interessante investir em rações com grãos bem pequenos ou dar uma forcinha triturando para o animal.

Evite Mudanças Drásticas Na Rotina Do Animal

Já ouviu falar que pessoas velhas odeiam mudanças? Com os gatos idosos também. Eles já estão completamente adaptados a sua rotina diária, o local das coisas e já conhecem a vizinhança. Uma mudança em seu ambiente de conforto pode deixar o animal perturbado e aumentar as chances de acidentes. É aconselhável, portanto, não mudar de casa com animais com mais de 12 anos e ainda preservar o ambiente o mais próximo possível do que ele conhece.

Algumas pessoas dizem que os gatos amam a casa e não seus donos. Um grande engano. Os gatos são apenas medrosos, por isso preferem a segurança do seu lar a mudanças drásticas, e odeiam mudanças de casa. Como não conhecem o ambiente, acabando fugindo e se perdendo por não conseguirem voltar à casa antiga. Precisando de cuidados médicos, o animal poderá sofrer nas ruas por se perder. O melhor é evitar, portanto, tais mudanças.

Evite Fugir Da Ração Na Refeição Do Animal

Enquanto filhote o gato pode beliscar seus doces, biscoitos e tudo o mais que achar bacana para alimentar o animal. Mas quando adulto e idoso não é uma boa pedida. Ele já não processa os alimentos da mesma forma e por isso poderá ter diarreia  Se for um animal muito velho, poderá morrer apenas por comer algo muito forte.

Ajude o Animal Em Sua Higiene Pessoal

Não é preguiça que seu gato velho pode não limpar-se mais como antes. Cansaço e falta de mobilidade são os principais motivos pelos quais os gatos começam a se limpar cada vez menos. Para evitar isso, é importante, portanto, escovar o gato e tentar ajudá-lo a se limpar melhor. Isso pode acontecer se ele anda nos seus anos finais, cansado e com problemas na sua elasticidade.

Cuidado Ao Criar Obstáculos Em Casa

A maior parte dos gatos fica cego ou bem perto disso quando já são idosos. Por isso é recomendado não colocar móveis novos ou qualquer outro item na linha de caminhada do animal. Ele poderá sofrer diversos acidentes com isso.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Felinos

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *