Rolinha tem Piolho?

Rolinha tem Piolho?

A rolinha, pequeno pássaro da família do Columbidae, é similar ao pardal. Mede cerca de 20 centímetros e chega a pesar até 50 gramas. É chamada popularmente de rolinha-cinzenta, sendo uma das menores espécies de columbídeos que compreende a região da América do Sul. Como outros pássaros, elas possuem parasitas que podem afetar populações humanas que convivem próximos, como os chamados piolhos de pássaros. São os principais focos de contaminação deste parasita.

Estes parasitas podem ser conhecidos também como piolho de galinha, cafife ou pixilinga. É uma infestação de piolhos que atingem principalmente aves. Estes são insetos, que como qualquer outro precisa de um hospedeiro vivo para que sobreviva. São essencialmente ectoparasitas, ou seja, sobrevivem na parte exterior dos animais ou mesmo dos humanos, se alimentando essencialmente de sangue ou mesmo de pele morta ou restos de alimentos ou sujeiras que ficam na superfície da derme.

Estes parasitas, vivem às custas de seus hospedeiros, deixando-os anêmicos e fracos. Nos pássaros podem fazer com que fiquem tão fracos a ponto de cair penas e chegar a mortem já que sugam todos os seus nutrientes. Podem causar às aves dermatite, já que vivem sobre a pele, picando e sugando o sangue. Causam coceiras, e consequentemente geram irritações, desgaste, lesões e erupções na derme. Desta maneira, estes sintomas tornam-se porta de entrada para outras doenças no corpo do animal.

Como Pássaros Pegam Piolho e Seus Sintomas?

Para aves domésticas, estes pegam piolho quando entram em contato com aves selvagens e livres, como a própria rolinha, pombos e pardais. Como estes pássaros que vivem livremente ficam em busca de alimentos, em algum momento pode entrar em contato com sua ave doméstica, em sua gaiola.

Para se precaver contra infestação de piolhos, é importante que ao comprar seu pássaro, e você já possuir outros pássaros em casa, é importante que faça um tipo de quarentena com esta nova ave. Verificar por um período de tempo se esta está com alguma doença ou mudança no comportamento, para que diminua os riscos de contaminação aos outros animais.

Caso você perceba que algum pássaro está com piolhos, o mais indicado é que este indivíduo seja retirado da gaiola, e este seja desinfetado com produtos específicos, para que não corra o risco da infestação contamine outros pássaros. Saiba que pássaros que costumam passar por banhos tem menos riscos de apresentar infestações de piolhos.

Quando os pássaros estão contaminados, estes ficam mais agitados, tentando coçar o corpo todo, a todo o momento. É nítido que tem algo incomodando, assim eles podem apresentar alguns sintomas dependendo do estágio da infestação de piolhos:

  • Fraqueza corpórea;
  • Queda de penas;
  • Perda do brilho das penas;
  • Irritabilidade;
  • Perda de apetite;
  • Machucados e lesões pelo corpo;
  • Diminuição do canto.

Tratamento Contra Ataque de Piolho de Galinha ou de Pássaros

Estas pragas podem ser piores para as aves quando comparado às infestações em humanos, já que o último consegue coçar e reagir melhor aos piolhos, quando as aves ficam limitadas, já que não alcançam de melhor maneira as regiões mordidas da pele. Além de que nas aves, os piolhos podem causar até mesmo a morte. Em lojas especializadas como também em cooperativas existem uma gama de produtos que ajudam no combate e tratamento contra esta praga.

Dentre tratamentos caseiros para acabar com os piolhos, coloque gotas de vinagre na água que os pássaros usam para se banhar. O vinagre ajuda a matar os piolhos mas não os ovos, então é importante que este processo seja repetido várias vezes. Já que se o pássaro estiver com ovos do piolho em sua pele, assim que forem nascendo vão morrendo aos poucos com o banho de vinagre.

Para acabar com os piolhos nas gaiolas, é possível fazer uma mistura a base de fumo de corda. Para isso você irá necessitar de 1 litro de álcool comum. Pegue o fumo de corda e deixe imerso no álcool por pelo menos 3 dias. Feito isso, retire o fumo do álcool, e dissolva 250 ml do álcool em 750 ml de água normal. Você pode usar esta mistura para borrifar sobre as gaiolas e locais que a aves habita. Além disso esta mistura pode ser borrifada também diretamente sobre as aves.

Pixilinga em Humanos

Em humanos, o piolho de pombo ou piolho de rolinha pode causar doenças na pele, caracterizado por lesões espalhados por toda a superfície. Vem acompanhada por inchaço, vermelhidão e muita coceira. A primeira medida imediata é afastar os pombos do local de habitação, e depois acabar com a infestação deste ácaro. É também possível, dependendo de como se deu a infestação, de que estes pequenos ácaros se alojem em locais estreitos e escuros, como em camas e colchões. Como são pragas minúsculas, às vezes não é possível vê-las a olho nu. É necessário verificar e perceber se há infestação nestes locais, caso haja, podem causar irritabilidade nos indivíduos, mordendo a pele e se multiplicando ali.

Faça uso de produtos específicos para acabar com estes pequenos parasitas. Outras doenças que pombos e rolinhas podem passar são doenças transmitidas pelas suas fezes, já que nela contém fungos e bactérias como o criotococos, agente que pode causar até a meningite e outros como a histoplasmose.

O Piolho, Demanyssus gallinae

Estes ácaros, muito incidentes em galinhas, pombos e rolinhas é também chamado de ácaro vermelho. Estes passam o dia escondidos em fendas onde estão alojados, e ali põe seus ovos e cruzam. Á noite buscam alimentos, e se estiver um um ambiente ideal, seu ciclo pode se realizar em apenas 7 dias, compreendendo ovo, larva, ninfa e adulto. Este podem sobreviver em locais sem hospedeiros por até 10 meses e o controle de infestações é algo muito difícil, já que são pragas muito persistentes.

É importante que os tratamentos devem ser realizados com intervalos curtos de pelo menos 1 semana, para que também não possa intoxicar as aves na aplicação de pesticidas. É importante se atentar às instalações, já que em grande proporção, estes ácaros costumam se alojar nas próprias instalações, e não deve descartar, além da aplicação nos próprios animais, também em locais próximos ao foco de infestação.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Aves

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *