Porque Os Pinguins Não Voam?

Os Pinguins são aves marinhas, típicas das regiões mais frias do planeta e que são conhecidas por não voarem. Os pinguins estão divididos em 18 (dezoito) espécies diferentes, e todas elas habitam o hemisfério sul do planeta.

Dessas 18 (dezoito) espécies, 05 (cinco) são consideradas estarem em risco de serem extintas.

A maioria das espécies dos pinguins que existe vive na Antártica, contudo são encontradas espécies em localidades como: Austrália, Nova Zelândia, na região sul da América do Sul e da África.

Essas aves pertencem a ordem dos animais Sphenisciformes.

 

As Características Dos Pinguins

Os pinguins são animais completamente adaptados a vida marinha.

A grande maioria das espécies desta ave marinha possui o dorso e a cabeça de cor preta e o peito de cor branca. O bico do Pinguim normalmente é comprido e bastante robusto, fato que facilita a alimentação destes animais.

Os pinguins possuem em torno de 15 (quinze) a 35 (trinta e cinco) quilos e a sua visão funciona melhor quando estes animais estão debaixo da água.

O corpo do pinguim se caracteriza por ter uma grossa camada de gordura o protegendo. Essa camada de gordura ajuda o pinguim a manter o calor do seu corpo quando estão nas águas geladas da antártica.

Os pinguins possuem a capacidade de controlar o fluxo de sangue corporal e conduzi-lo para as extremidades, fazendo com que a quantidade de sangue que esfrie seja diminuída e assim seja evitado que as suas extremidades fiquem congeladas.

 

A cauda e as asas desse animal marinho ajudam a eles a manterem o equilíbrio e a postura quando se deslocam.

As patas desses animais possuem 04 (quatro) dedos que possuem membranas que os unem. As patas do pinguim ficam para trás com relação ao corpo da ave, fazem com que esta ave marinha caminhe em uma posição ereta e também possuem efeito melhorando a capacidade de nado desta ave marinha.

As asas dos pinguins apresentam plumagem lisa, densa e muito gordurosa, o que as torna impermeáveis (não são atravessadas pela água). As asas dos pinguins acabam desempenhando um papel semelhante as barbatanas, pois elas são atrofiadas.

Os pinguins se caracterizam por serem aves que não voam, no entanto eles nadam de maneira excepcional, e chegam a atingir uma velocidade de até 45 (quarenta e cinco) km/h. o fato de serem excelentes nadadores ajudam os pinguins a fugirem dos seus predadores, e além disso eles apresentam uma cor de contraste por camuflagem que auxiliam os pinguins a se esconderem dos predadores.

Os pinguins quando estão sob a superfície da água e vistos de forma ventral, a cor branca se confunde com a superfície refletida da água, enquanto que vistos de forma dorsal, a plumagem preta acaba tornando os pinguins menos visíveis quando estao na água.

Os pinguins vivem a maior parte do tempo de sua vida na água e se caracterizam por serem caçadores ágeis e habilidosos.

 

Os pinguins possuem a sua alimentação baseada em moluscos, pequenos peixes, sépias e animais marinhos que possuem um porte reduzido.

Os pinguins são animais tranquilos e mansos, que ficam agressivos somente quando os seres humanos ficam próximos do seu ninho ou do local onde estão vivendo os filhotes.

Outra característica dos pinguins é que no caso de beberem água do mar, que é salgada, eles acabam absorvendo sal em excesso para o seu corpo, no entanto esse fato é solucionado pelo fato das aves marinhas possuírem uma glândula que fica perto dos seus olhos e que elimina o excesso de sal absorvido por elas.

A Reprodução Dos Pinguins

Os pinguins são animais que se caracterizam por sua fidelidade, existem espécies cujos animais macho e fêmea, se unem para acasalar e ficam juntos por toda a suas vidas. Esses animais se separam somente se não conseguirem se reproduzir.

Quando estão na época reprodutiva, os pinguins buscam plataformas compostas de gelo ou de rochas, para que possam guardar os seus ovos. Normalmente, os pinguins colocam somente 01 (ovo), de forma rara são colocados 02 (dois) ovos.

O período de incubação dos ovos dura em média de 05 (cinco) a 06 (seis) semanas, e o macho tem o habito de auxiliar a fêmea nos cuidados com o futuro filhote, preservando e cuidando o ovo e permitindo que a fêmea saia em busca do seu alimento.

 

Enquanto os filhotes não se desenvolvem de maneira plena, eles não conseguem procurar alimentos sozinhos. Por isso, os pinguins organizam colônias que se assemelham as creches, onde os filhotes de pinguim ficam juntos em grupos e são protegidos pelo pai ou pela mãe, enquanto eles se revezam na procura de alimentos para o filhote.

Quando os pinguins filhotes atingem o tamanho dos seus pais, eles perdem a penugem e ganham as penas, a partir desse momento os filhotes ficam preparados para ir ao mar, e conseguir o próprio alimento.

Por Que Os Pinguins São Aves Que Não Voam?

Os Pinguins são aves que não voam, pois as suas asas foram sendo adaptadas com o passar dos anos para que eles pudessem nadar.

As asas dos pássaros se caracterizam por serem largas e apresentarem penas grandes, enquanto as asas dos pinguins possuem penas pequenas e a forma de nadadeiras. As asas dos pinguins se adaptaram para desenvolverem grande velocidade ao nadarem para que possam caçar (por exemplo: pegar os peixes) e para que possam conseguir fugir dos predadores naturais dos pinguins.

Os pinguins perderam a capacidade de voar a alguns milhares de anos. Segundo os estudiosos, a atividade de voar passou a exigir bastante energia dessas aves que se tornaram hábeis nadadoras e por isso suas asas acabaram sofrendo atrofia para conseguirem voar.

Caso os pinguins tivessem mantido a capacidade de voar, muitos aspectos de sua vida poderiam ser facilitados, principalmente o fato de fugir dos predadores, como a foca-leopardo. Contudo, o fato dos pinguins conseguirem nadar de forma eficiente e rápida, aumenta e melhora as condições e oportunidades de conquistar a sua alimentação.

Por isso, conforme as teorias desenvolvidas sobre a questão dos pinguins não voarem, é que os animais que deram origem aos pinguins (os seus ancestrais) conseguiam voar, no entanto existia uma maior quantidade de alimento disponível para esses animais  debaixo da água, e os animais que possuíam maior capacidade de nadar, acabaram se destacando e sobressaindo na cadeia evolutiva, fazendo com que a atividade de voar, acabasse se tornando uma habilidade de menor necessidade que  nadar.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Aves

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *