Avestruz-árabe (Struthio Camelus Syriacus)

No reino animalia, conhecido entre os leigos como o reino dos animais, algumas espécies são consideradas especiais e infelizmente já deixaram o nosso mundo dos vivos. Uma delas é o avestruz árabe, com o nome científico de Struthio camelus syriacus.

Uma pintura de um avestruz árabe de em seu ninho do Livro dos Animais de al-Jahiz, da Síria, do século 14, é um dos registros mais antigos deste animal, conhecido até o momento como o primeiro registro em imagem do avestruz. Esta imagem está no domínio público porque seus direitos autorais expiraram.

Classificação Do Avestruz-árabe

O Avestruz-árabe faz parte do grupo dos Filo Chordata (cordados), da classe aves (pássaros) e da ordem Struthioniformes (ratites). É da família Struthionidae (Struisvogels), do gênero Struthio, da espécies Struthio camelus, das subespécies Struthio camelus syriacus.

Genética Do Avestruz-árabe

O DNA mitocondrial mostrou que o Avestruz-árabe é mais relacionado com o avestruz norte africano de ou de pescoço vermelho, cujo nome científico é o Struthio camelus camalus . A presença de uma linhagem comum nestas duas subespécies de avestruz indica que o fluxo de genes entre as duas formas geográficas pode ter sido possível no passado evolutivo recente, provavelmente ao longo da passagem egípcia-Sinai-Israel.

Esta pesquisa mostra também que o avestruz  Sul Africano (Struthio camelus australis ) e o do Leste Africano ou Maasai avestruz (Struthio camelus massaicus) possuem um ancestral comum recente. O avestruz da Somália (Struthio camelus molybdophanes) é filogeneticamente mais distinto dos demais citados. 

Características Do Avestruz-árabe

O Avestruz-árabe é fisicamente semelhante ao  avestruz Africano do norte (Struthio camelus camelus), mas se distingue pelo seu tamanho relativamente pequeno. Possivelmente, as fêmeas foram árabes de uma coloração ligeiramente mais clara. O avestruz da espécime tarso da Arabian tem 465 mm, enquanto que o da espécime africana do norte tem 530 mm.

Habitat Natural Do Avestruz-árabe

O Avestruz-árabe anteriormente viveu em semi-desertos, desertos e planícies habitadas do Oriente Médio. Em tempos históricos, verificou-se sua presença mais para o norte da região, no leste a Kuwait, incluindo a Jordânia, ao sul do deserto sírio na Península Arábica e, aparentemente, sul de Israel e no Sinai. Não há registros deste animal em demais espaços do mundo, pois seu corpo é fisicamente organizado para viver em tais espaços.

Reprodução Do Avestruz-árabe

A reprodução do Avestruz-árabe foi semelhante ao das subespécies sobreviventes. A avestruz fêmea deixa o ninho assim que seus filhotes já possuem uma condição básica de subsistência. Assim como os demais tipos de avestruz que encontramos na natureza hoje, tais animais vivem

Os ovos são deixados no ninho sozinhos pela mãe. Como os ovos possuem casas muito espessas, eles podem ser facilmente arrombados por predadores. É por isso que alguns livros costumam narrar que esta ave era uma péssima mãe, e pode ter causado a sua própria extinção. Como não havia uma proteção dos pais durante o desenvolvimento dos filhotes, eles eram presas fáceis para outras aves e mamíferos na região. 

História e População Da Avestruz-árabe

Sabe-se que o Avestruz-árabe viveu no Médio Oriente milhares de anos atrás. Hoje o que temos são apenas restos históricos já estudados que comprovam que o Avestruz-árabe realmente existiu. Há uma escultura em pedra de uma antiga família de avestruz na Arábia Saudita, cerca de duas horas ao sudoeste de Riyadh que data em torno de 2000 e 1000 aC.

Um ninho “histórico” encontrado em Tel Michal, perto da Herzliyya em 1977, continha entre 12 e 15 ovos, cinco deles integrais. Testes de carbono radioativo definem a idade do ninho em 5810, o que deixa o animal com mais ou menos 220 anos, mostrando que pelo menos alguns milhares de anos atrás os avestruzes eram criados em áreas abertas do centro de Israel.

O Avestruz-árabe era bastante comum até o momento da Primeira Guerra Mundial (1914-1919). Após este grande evento histórico, as armas de fogo de guerra se tornaram mais abundantes na península arábica e com a chegada dos automóveis permitiu prosseguir com a morte destes avestruzes.

Pela eclosão da II Guerra Mundial, esta subespécie de avestruz foi praticamente extinta. O último registro legítimo do Avestruz-árabe pode ter sido de um animal morto por um tiro individual e comido no Bahrein em 1941. No entanto, em fevereiro de 1966, uma fêmea morta de Avestruz-árabe foi encontrada na Jordânia, em uma boca de Wadi Hasa, perto de Safi no sul da Depressão do Mar Morto. Esta fêmea, aparentemente, foi arrastada pela enchente do rio Jordão. Este registro é geralmente aceito histórica e cientificamente, mas é baseado em informações de segunda mão, acrescentando que é improvável que seja uma espécie original 

Causas De Extinção Do Avestruz-árabe

Com a análise de prova da casca de ovo encontrada do animal em perfeito estado, estudos mostram que o avestruz viveu amplamente distribuído na Arábia. No entanto, a ausência de ossos de avestruz em registros arqueológicos sugere que eles não foram caçados para o consumo da carne.

Tentativas De Conservação Do Avestruz-árabe

O Avestruz-árabe também teve alguns animais criados em cativeiro mas sem sucesso para a preservação da espécime. 

Reintrodução Do Avestruz-árabe Na Natureza

O avestruz Africano de pescoço vermelho do Norte  (Struthio camelus camelus) está sendo introduzido em áreas antes ocupadas pelo agora extinto Avestruz-árabe. O Avestruz africano de pescoço vermelho  do Norte foi escolhido como substituto por causa de sua proximidade geográfica, a similaridade fenotípica e valor de conservação da espécime para estudo e para a história da natureza.

Peles de uma fêmea e dois filhotes estão na coleção do Museu de Zoologia da Universidade Hebraica de Jerusalém. Eles foram mortos em 27 de março 1927 em Arábia Saudita entre Kayuff e Guff, cerca de 500 km a leste de Israel. Há também ovos encontrados em ninhos preservado no Museu de Zoologia da Universidade de Tel Aviv (ZMTAU) em uma coleção sobre o animal. 

Parentes Do Avestruz-árabe

O Avestruz-árabe tem três ou quatro subespécies ainda em vida. O avestruzAfricano do Norte. O avestruz de pescoço vermelho é o mais próximo parente vivo e ainda pode ser visto em regiões próximas ao habitat do Avestruz-árabe.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Aves

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *