Andorinhão-Preto (Apus Apus)

Para conhecer melhor o andorinhão-preto é necessário conhecer a família na qual ele faz parte, que, diga-se de passagem é bem grande. Bem 92 espécies fazem parte da Apodidae que é a família da andorinhão-preto e outras espécies bem conhecidas como, taperuçus, taperás, andorinhões, rabos espinhosos e guelros. No total, dentro da família existem 19 gêneros.

Apesar desses animais serem muito parecidos, com muitas semelhanças morfológicas, vale notar algumas diferenças. Por exemplo, apesar da proximidade do nome vulgar andorinhões, eles não são próximos das andorinhas. Essas aves pertencem a uma outra família chamada de Hirundinídeo.

Ainda falando dessas semelhanças, elas se dão devido a um fenômeno chamado pelos cientistas de evolução convergente, isto é, tem a ver com o nicho do meio ambiente que cada um dos grupos pertence.

Um desses grupos só não está na Antártida e na América, mas pode ser encontrado nos demais continentes. Além de pode ser visto em todas as regiões climatéricas da zona paleártica até chegar a zona neotropical.

Os andorinhões podem ser encontrados nos mais diversos tipos de habitats, até mesmo aqueles bem diferentes entre eles, como por exemplo, florestas e desertos, e também em zonas agrícolas, estepes e muito mais. Do nível do mar podendo chegar a encontrá-los a 4 mil metros de altitude. Existe uma explicação para essa facilidade que essa ave tem de estar em lugares tão diferentes uns dos outros, está relacionada a abundância de insetos voadores. Esse é o prato preferido do andorinhão-preto e por isso, onde a comida é em abundância, ele está presente.

Características Gerais do Andorinhão-Preto

Essas são aves de pequeno porte, o que significa que o comprimento fica entre 9 e no máximo 25 centímetros. Alguns detalhes fazem variar entre o maior e o menor tamanho.

Falando da plumagem ela fica entre duas cores, castanha ou preta, e não dá para perceber o dimorfismo sexual, porém, em alguns casos, algumas manchas são bem evidentes. Elas aparecem na zona da garganta, colorida ou na barriga, em tonalidade mais clara.

As asas do andorinhão-preto parecem um bumerangue por causa da sua forma, “afiadas”, bem diferente do resto do corpo. As penas além de estreitas, são longas, as secundárias, por sua vez, são mais curtas que as primárias. Aliás, essa característica das penas é que faz com que elas consigam voar mais rapidamente e também consigam planar.

Já o bico é curtinho e tem outra característica importante, pouco recurvado. Sobre os dedos e os pés, ambos, são curtos, tão pequenos que quase não dá para ver, principalmente, quando a ave está voando.

Como Se Alimenta o Andorinhão-Preto

O andorinhão-preto é considerado uma ave insetívora, isto é, que vai em busca de alimentos, no caso, insetos, quando está voando. Faz isso em duas horas do dia, no início e no fim. Ela gosta de insetos, mas tem suas preferências que são os que voam em enxames, como por exemplo, as abelhas, os cupins ou as vespas. Aliás, o fato de ter pés curtos é que fazem com que essas aves não tenham interesse em caçar no solo, preferem fazer quando estão voando.

Mas, se o andorinhão-preto voa em busca das suas presas, ele também é presa, e de vários outros animais, como a coruja, o falcão, entre outros. Fora, quando estão na terra, nos seus ninhos, que são atacadas pelas cobras e outras aves, como estorninhos e corvos. Como dá para perceber, essa ave tem muito que se defender.

Para piorar a situação do andorinhão-preto existe uma espécie chamada Bornéu que é de grilos e os ovos da ave são exatamente o alimento principal deles.

A Reprodução do Andorinhão-Preto

As aves andorinhão-preto são monogâmicas e os casais dessa espécie são formados durante o momento em que elas se reproduzem. Há casos de casais que ficam juntos a vida toda, principalmente, as aves das áreas tropicais.

O casal de aves também é muito parceiro, quando o assunto são os filhotes, macho e fêmea dividem as tarefas, começando pela escolha do lugar que será construído o ninho.

Falando da reprodução, a distribuição geográfica influencia na época do ano que os filhotes nascerão, mas normalmente, o momento em que o número de insetos é maior, é o “escolhido”.

O ninho dessa ave é construído de forma vertical e eles usam estruturas como chaminés ou mesmo rochosa, usam materiais como musgos, penas e gravetos e o que reforça a “construção” é a saliva.

Em cada ninho, essas aves deixam entre 1 a 7 ovos, a quantidade é influenciada pelas condições ambientais e o quanto alimento eles têm acesso. Os ovos tem a forma ovalada e são bem brancos e ficam incubados entre 14 a 32 dias.

Quando nascem eles se apresentam cegos e sem nenhuma pena. Para alimentá-los, as aves fêmeas formam bolas de vários insetos “colados” com saliva. Eles passam a ser independentes somente quando estão entre 5 a 8 semanas e tornam-se maduros sexualmente falando, quando completam 2 anos.

Conservação e Importância Econômica do Andorinhão-Preto

Os andorinhões-pretos têm uma grande importância econômica, mas não só eles, outros gêneros desse pássaro também, como, collocalia, hydrochous, aerodramus e schoutedenapus. Todos esses são aqueles que constroem os seus ninhos usando a saliva como principal material para “ligar” uma parte na outra. E isso tem uma grande importância, economicamente falando, no sudeste da Ásia, pois se trata de uma fonte da sopa de ninhos de andorinha.

Para se ter uma ideia do “poder” da saliva dessas aves, só em 1989, os ninhos de andorinhão foram comercializados com o preço médio de 1,25 dólares. Sendo que esse número de vendas chegou a 20 milhões de unidades. Na Ásia, se usa a sopa para fortalecer o sistema imunológico.

Infelizmente, algumas espécies de andorinhão estão ameaçadas de extinção, o caso, por exemplo, da collocalia bartschi. Além dela, mais 5 estão correndo o risco de desaparecer do mapa. Eles estão perdendo o espaço para construir os seus ninhos, não tendo a oportunidade de achar material para fazê-los e também por causa do uso em excesso de pesticidas. Somados a isso, os predadores também estão ameaçando algumas espécies.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Aves

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *