Golfinhos

Quando pensamos num animal fofo com certeza os golfinhos – ou delfins – são os primeiros a aparecer em nossa mente. Esses cetáceos fazem parte da família Delphinidae e tem como principal característica serem adaptados para viver no ambiente aquático, alguns para água doce e outros para água salgada.

Atualmente, os biólogos conhecem um total de 37 espécies de golfinhos e dentre estas a mais comum é a Delphinus delphis. Um animal que nada muito bem e que pode surpreender com os seus belos saltos de até cinco metros. A velocidade de nado desses animais pode chegar a algo perto de 40 km/h, podem mergulhar em grandes profundidades.

Conhecendo os Golfinhos

A base alimentar dos golfinhos é composta de lulas e peixes, um indivíduo dessa espécie pode viver por um período entre 20 e 35 anos. As fêmeas dão a luz a somente um filhote por vez. Como são animais bastante fáceis de socializar podem viver em gripo com outros golfinhos e também com outros animais. Os golfinhos podem conviver até mesmo com pessoas.

Inteligência

Uma das capacidades dos golfinhos que mais intriga os cientistas é a sua fantástica inteligência. Quando criados em cativeiro os golfinhos são passíveis de serem treinados para realizar uma grande diversidade de tarefas dentre as quais estão algumas de extrema complexidade.

Uma característica que cativa nesses animais é o fato de gostarem de uma boa brincadeira e podem ter uma grande diversidade de comportamentos. Ficam atrás somente do homem em variedade de comportamentos que tenham ligação com a alimentação ou a reprodução.

Sentidos

Os golfinhos contam com o sentido de ecolocalização ou ainda chamado de biossonar que consiste numa espécie de orientação feita por ecos. Com esse sentido os golfinhos conseguem nadar sem esbarrar em barreiras que possam surgir pelo caminho e ainda fazem uma caça mais eficiente de suas presas.

Predadores de Golfinhos

Os golfinhos estão na mira de predadores como tubarões e o homem. Alguns pescadores que estão em busca de atum podem procurar pela ajuda dos golfinhos que também caçam esse peixe, nesse caso se estabelece uma protocooperação. Em geral os golfinhos localizam o cardume dos atuns, os pescadores então jogam as suas redes aprisionando os peixes e esperam que os golfinhos se alimentem para puxar as redes.

O que pode acontecer é os golfinhos acabarem presos nas redes de maneira que podem vir a morrer. Outras formas como os golfinhos podem ser prejudicados diz respeito ao comprimento das redes e também a poluição que destrói seu habitat.

Carne de Golfinho

Em alguns países os golfinhos podem ser pescados devido a sua carne. O Japão é um dos países que mais promove a pesca desses animais, boa parte do que é pescado acaba sendo vendido para outros países como Estados Unidos e China. A carne do golfinho pode ser um substituto para a carne de baleia. Como o consumo de carne de baleia é intenso em alguns países em especial na Ásia pode acontecer delas se tornarem raras.

Além de serem capturados com o objetivo de alimentação esses animais podem ser usados como atrações em parques aquáticos, por exemplo. Algumas pescas são organizadas com o objetivo de capturar golfinhos e orcas com esse objetivo. Contudo, mesmo que o objetivo seja capturar os animais vivos muitos indivíduos acabam machucados e até mesmo sendo mortos.

Vida em Cativeiro

Mesmo os animais que conseguem sobreviver nessas capturas não tem a garantia que se manterão vivos uma vez que podem não se adaptar ao cativeiro e então acabam falecendo. Os parques marinhos em grande parte não oferecem o que esses animais realmente necessitam para sobreviver com saúde.

Recentes pesquisas realizadas com golfinhos demonstrou que a expectativa de vida deles cai drasticamente quando eles estão vivendo em cativeiro. Além disso, a sua reprodução se torna quase impossível. Exatamente porque é difícil que esses animais se reproduzam em cativeiro que muitos parques partem para a pesca.

Cardápio

Os golfinhos podem ser considerados caçadores e a sua base alimentar é composta de lulas e peixes, contudo, podem se alimentar ainda de moluscos e até camarões. Normalmente esses animais promovem caca em grupo e saem em busca de encontrar cardumes de peixes.

As espécies de peixes em geral tem um ciclo anual de movimentos, os golfinhos se mantem sempre a par desses cardumes e talvez seja por essa observação que muitas vezes parece que eles sabem exatamente como interceptar cada tipo de cardume. Os biólogos acreditam que os golfinhos conseguem localizar esses cardumes com tanta facilidade porque detectam substâncias químicas que estão presentes nas fezes e urina dos peixes.

A Ecolocalização dos Golfinhos

Uma das habilidades mais incríveis que os golfinhos possuem é o seu sentido de ecolocalização que é basicamente um tipo de sistema acústico que torna possível para eles reunir informações sobre outros animais e também sobre o ambiente em que vivem. Os golfinhos tem a capacidade de produzir sons que tem alta frequência ou mesmo ultrassônicos que estão próximos a faixa de 150 kHz.

Esses sons são emitidos sob a forma de cliques ou estalidos e são resultantes do ar que é inspirado e expirado por meio de um órgão chamado de sacos nasais ou aéreos que fica localizado no alto da cabeça dos golfinhos. Esses animais possuem um tipo de ampola que está repleta de óleo e que fica localizada na testa ou na nuca e que deve ser a responsável por fazer a emissão das ondas sonoras para o a água.

Como o som tem a capacidade de se propagar até cinco vezes mais rápido na água o ambiente aquático em que os golfinhos vivem favorece essa ecolocalização. Cada espécie de golfinho produz sons diferentes, em geral são sons utilizados para que eles possam se comunicar.

Eco

Assim que o som emitido pelo golfinho chega até o objeto ou presa desejado tem uma parte refletida como se fosse um eco que é então captado por um órgão adiposo e grande que está localizado no maxilar inferior ou mesmo na sua mandíbula. Esses sons são transmitidos para o ouvido interno ou médio e somente depois para o cérebro.

O golfinho é um mamífero que pertece à família dos Delphinidae, mesma categoria em que se encaixa a Orca. São animais privilegiados e muito inteligentes, possuindo características de comportamento semelhante às dos seres humanos quanto a brincadeiras e alguns outros fatores que se destacam fazendo com que seja um animal de fácil aprendizagem para executar tarefas que lhe seja viável. O golfinho pode viver tanto em água salgada quanto em água doce, dependendo da sua espécie, mas os mais frequentes são os de água salgada.

Podem saltar até 5 metros de altura quando nadam, pode atingir grande profundidade sem sofrer danos e podem atingir uma velocidade de 40km/h quando submersos, tornando-se assim um ágil caçador. Sua alimentação consiste em peixes e lula (parecida com a Orca, que além disso come peixes um pouco maiores). Quando percebe um predador de maior porte se aproximar e se sente ameaçado, o golfinho ou opta por fugir ou lutar para assustar o que lhe atormenta. Geralmente ele procura ganhar velocidade e então acertar o predador ofensivo com o seu bico, que apesar de não ser muito duro, com uma certa velocidade, pode causar ferimentos graves.

Os golfinhos são considerados um dos animais mais sociáveis tanto com sua espécie quanto com os seres humanos. Para conferir mais fotos desse incrível animal, acesse aqui.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Aquáticos

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *