Animais da Floresta Amazônica Ameaçados de Extinção

A Floresta Amazônica e toda a região que a compreende compõe a maior biodiversidade do planeta, com diversas espécies animais e vegetais, umas conhecidas e catalogadas e outras ainda por serem descobertas. Mas, apesar das inúmeras espécies e ainda por ter diminuído o desmatamento, alguns seres ainda sofrem grave risco de serem extintos, principalmente em razão da ação do homem na natureza, através das queimadas e até mesmo pelo tráfico de animais e plantas, que não para de crescer na região Amazônica.

Isso ocorre porque o policiamento na região é insignificante, frente ao tamanho do território que se tem que cuidar. A lista de animais em risco de extinção na Amazônia é extensa e não para de aumentar, pois apesar da boa vontade, muito pouco se tem feito para preservação das espécies.

As Nações Unidas calculam que existam entre 10 e 100 milhões de espécies de seres vivos no planeta. Desses, somente 1,4 milhões são conhecidos e 25% estão ameaçados de extinção. Todos os dias desaparecem quase trezentas espécies animais e vegetais no mundo, devido a destruição de seus habitats.

O Brasil e as espécies ameaçadas de extinção

O Brasil, um dos países com maior biodiversidade, também perde centenas de espécies diariamente, vítimas de atividades como a agricultura, pecuária, extração de madeira, mineração e poluição industrial. Desde 1990, o IBAMA lista os animais em risco de extinção no Brasil. A maioria das espécies é oriunda da Amazônia, Mata Atlântica e Pantanal. Entre eles estão 57 mamíferos, 108 aves, 9 répteis e 32 invertebrados.

Espécies ameaçadas de extinção no Brasil

Espécies ameaçadas de extinção no Brasil

A Floresta Amazônica e suas espécies

Com uma extensão de aproximadamente sete mil quilômetros quadrados, a Floresta Amazônica é a maior floresta tropical do mundo, estendendo sua área por nove países (Brasil, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, Suriname, Guiana e Guiana Francesa), estando a maior parte dela concentrada dentro do território brasileiro.

Estima-se que haja dentro da floresta mais de 20% de todas as espécies de plantas e de animais de todo o planeta. São aproximadamente 20 mil espécies de vegetais, 1.400 espécies de peixe, 300 espécies de mamíferos e cerca de 1.300 espécies de aves.

Isso sem contar as milhares de classes de microorganismos, insetos e outros invertebrados. Devido a toda essa sua biodiversidade e aos seus valores benéficos e importância para o planeta, a Floresta Amazônica foi apelidada de o “pulmão do mundo”.

Mas aí entram os problemas. Somos um país de sorte por concentrarmos em nosso território uma área tão abundante de biodiversidade, mas há também muito do que se envergonhar em relação ao tratamento que os brasileiros dão à Floresta Amazônica. Além do desmatamento desenfreado, que causa alterações climáticas no planeta, muitas daquelas milhares de espécies animais estão em extinção ou ameaçados.

A lista é constantemente atualizada pelo IBAMA e não para de crescer. Alguns animais figuram na lista há anos, um ou outro até chega a sair dela, mas não vale a comemoração: novos animais já entraram na lista em seu lugar.

Entre as centenas de animais que constam na lista de ameaçados de extinção, a chamada “Lista Vermelha”, organizada pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais, constam espécies de todos os tamanhos, famílias, classes, plumagens e belezas.

Dentre os animais que figuram a mais tempo entre os ameaçados de extinção na Floresta Amazônica está a onça pintada, que já na década de 1960 passou a sofrer uma grande diminuição em seu número devido a exportação ilegal da floresta para outros países.

A perda do seu habitat natural por causa do desmatamento e a busca por alimentos fora da mata – quando as onças acabam sendo mortas por fazendeiros que tem suas propriedades “invadidas” pelo animal –, também acabam contribuindo para a sua possível extinção.

Aves como a ararajuba e a harpia; outros mamíferos como a ariranha e o peixe-boi; e dezenas de répteis, anfíbios e peixes também figuram constantemente na lista de espécies ameaçadas de extinção da Floresta Amazônica.

Sendo responsável por grande parte da riqueza natural do país, a Floresta Amazônica conta com algumas espécies animais que não existem em nenhum outro lugar no mundo.

Quase 200 espécies de aves também não existem em lugar nenhum fora da nossa Floresta Amazônica. E o mais impressionante é que boa parte dessa imensidão verde ainda nem foi descoberta.

Ameaça na Amazônia

Outra atividade extremamente danosa para a natureza é o tráfico ilegal de animais vivos, o terceiro maior tipo de contrabando depois do de drogas e armas. A maior parte dos animais contrabandeados vem da Amazônia.

Como a Amazônia entende-se tanto a região florestal que circunda a bacia do Rio Amazonas e passa por nove países sul-americanos (Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela), quanto o maior bioma brasileiro, que ocupa 49,29% do território.

Apesar de ser vista mundialmente como uma das fontes mais ricas de diversidade, seja ela na fauna ou na flora, a floresta amazônica e a Amazônia como um todo, é o lar de dezenas de espécies de animais que já estão em extinção, e que estão em estado de conservação e precisam ser preservadas.

As espécies chegaram a este estado devido à falta de conservação em anos passados. A caça por esporte, o desmatamento que ocasiona a redução de espaço natural para que estas espécies possam viver, todos estes detalhes causam formas de extinção dos animais.

Hoje em dia, a lista de animais em extinção na floresta amazônica incluem Doninha Amazônica; Peixe boi da Amazônia; Ararinha Azul; Arara vermelha; Jararaca; Macaco-prego; Guariba-de-mão-ruiva; Mico Leão Dourado; Cobra-dormideira- queimada-grande; Cachorro do Mato; Lobo Guará; Ariranha; Onça Pintada; Macaco-aranha; Tatu; Jaguatirica; Boto Cachimbo; Morcego; Onça parda; Pica pau cara amarela; Tucano de bico preto; Rato do cacau e o Tamanduá Bandeira.

Lista de Espécies da Floresta Amazônica Ameaçadas de Extinção

Arapaçu

Ave que tem como nome científico dendrokolaptes kerthios, que significa pequeno pica-pau morador de árvores. Um pássaro pequenino cujo tamanho é em torno de 28 cm de comprimento. Uma de suas características mais marcantes é ter a mandíbula avermelhada. A plumagem do arapaçu pode ser tanto manchada como estriada.

A base alimentar do arapaçu são as formigas-de-correição e outras variedades de insetos voadores. Pode viver solitário ou ser visto em bandos. Por depender de árvores para usar de moradia é mais fácil encontrar os pássaros dessa espécie em florestas úmidas. Além de ser encontrado distribuído por toda Amazônia esse pássaro também pode ser visto nos estados de Alagoas e Pernambuco.

Arapaçu

Arapaçu

Arara de Barriga Amarela

A arara-canindé é conhecida popularmente como arara de barriga amarela e se trata da espécie de maior destaque dentre as espécies que compõem o gênero Ara. A espécie pode ser encontrada na América Central, no Brasil, no Paraguai e na Bolívia. Um indivíduo dessa espécie pode chegar a medir 90 cm. Uma ave que tem as cores da bandeira brasileira, a sua cabeça tem tons de verde, a parte superior do corpo é azul e a barriga é amarela.

Outra característica relevante sobre essa ave é ter a causa triangular e apresentar ótimas habilidades para escalar árvores. Uma ave que pode ser facilmente reconhecida por emitir um grito bastante peculiar, algo como RRAAAK. Essa ave é encontrada no Brasil tanto na Amazônia como na região do Cerrado. No entanto, atualmente, é considerada uma espécie em perigo de extinção.

Casal de Arara de Barriga Amarela

Casal de Arara de Barriga Amarela

Arara-Azul

Arara-Azul (Anodorhynchus hyacinthinus): a ave de plumagem azul no corpo e amarela nos olhos é uma das mais apreciadas por caçadores e colecionadores de animais. Por isso, é considerada uma das espécies em perigo, segundo a classificação na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) das espécies ameaçadas. Sua alimentação, enquanto vivendo livremente, consiste de sementes de palmeiras (cocos), especialmente o licuri. Devido ao tipo de alimentação, tem o bico considerado como o mais forte dentre todas as aves conhecidas.

A partir dos 3 anos, as araras se reproduzem, sempre entre janeiro e novembro, quando nascem 2 filhotes pode vez, com período de incubação que dura 30 dias. Os bichinhos levam de 3 a 3 meses e meio para sair do ninho. Além do estado do Amazonas, a espécie é encontrada também no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Tocantins.

Filhote de arara azul

Filhote de arara azul

Arara Vermelha

Um belo exemplar de arara é psitaciformes (indica que possui dois dedos voltados para frente e dois dedos voltados para trás) que pode também ser chamada de arara verde uma vez que possui essa cor em suas asas. A arara vermelha pode ser encontrada no Brasil e também na Argentina, Paraguai e Panamá.

Essa ave pode chegar a medir em torno de 90 centímetros e pesar até 1,5 kg. Os ocos das árvores das florestas são usados por essa ave para a postura de seus ovos. A incubação dura 29 dias. Uma curiosidade é que o macho dessa espécie se mantém fiel a mesma fêmea por toda a vida.

Casal de Arara Vermelha voando

Casal de Arara Vermelha voando

Ararinha Azul

O tom de azul da espécie Cyanopsitta spixii é o seu grande diferencial, seu azul é do tom ciano e confere uma beleza única para essa ave. Ao longo do corpo dessa ave encontramos alguns tons de azul diferenciados que variam entre os vivos e os mais pálidos. Trata-se de uma espécie endêmica do Brasil, em média um indivíduo dessa espécie mede em torno de 57 cm de comprimento.

Infelizmente essa ave se encontra sob ameaça séria de extinção, o corte de árvores da floresta fez com que seu habitat fosse muito resumido. O único indivíduo de ararinha azul desapareceu entre 2000 e 2001. Existem apenas 73 indivíduos em cativeiro. A base alimentar dessa ave consiste em flores, seiva, polpa e frutos.

Casal de Ararinha Azul em cativeiro

Casal de Ararinha Azul em cativeiro

Ararajuba

Também conhecida como Guaruba essa espécie é uma das mais bonitas e valiosas de arara. Seu corpo é de um amarelo muito vivo e pode chegar a atingir 34 cm de comprimento. Além do tom de amarelo essa ave ainda possui as pontas de suas asas com tons de verde. Exatamente por ser verde e amarela é considerada como a melhor ave para ser escolhida como ave símbolo nacional.

Uma ave que vive nas copas de árvores bem altas em florestas úmidas. Os ninhos dessas aves são construídos em árvores altas e ocas. A espécie de arajuba é bastante colaborativa entre si, os indivíduos do bando ajudam os futuros papais do grupo a tomar conta dos ovos no período de incubação que dura em média 30 dias.

Casal de Ararajuba comendo

Casal de Ararajuba comendo

Ariranha

Ariranha, lontra-gigante, lobo-do-rio ou onça-d’água (Pteronura brasiliensis): é a maior espécie de lontra existente, chegando a 1,8 m. A espécie é encontrada principalmente na bacia do Rio Amazonas e no Pantanal. Sua alimentação é formada basicamente por peixes, e esse é um dos fatores de extinção, pois muitos são envenenados com mercúrio ao comerem peixes de rios poluídos pela mineração, sendo que outro fator é a destruição do habitat natural. Assim, como a Arara-Azul, ela é classificada como em perigo na Lista Vermelha da IUCN.

Ariranha saindo do rio

Ariranha saindo do rio

Boto Cachimbo ou Toninha

Consiste numa das menores espécies de golfinhos e se caracteriza por sua coloração que varia de uma escala de cinza-pálido a pardo-amarelado. Com cerca de 200 dentes pequeninos esse golfinho possui um rosto bastante alongado. O peitoral desse animal tem forma de trapézio. Pode ser visto sozinho ou em grupos de 2 a 5 indivíduos.

Geralmente a reprodução do boto cachimbo ocorre no final da primavera, os indivíduos se tornam aptos para se reproduzir quando atingem a idade de 2 a 3 anos. As principais ameaças a espécie são a poluição constante as águas em que vivem e a depredação ambiental. A captura acidental em redes de pesca também contribui para o fim da espécie.

Boto Cachimbo

Boto Cachimbo

Cachorro do Mato

Um dos nomes pelos quais o cachorro do mato é conhecido é guaraxaim e tem parentesco com o cachorro do mato de orelhas curtas. Um animal que mede em torno de 65 cm e tem hábitos noturnos. O tom dos pelos desse animal é cinza claro sendo sua base amarelada. A base alimentar desse animal é bastante variada uma vez que se aproveitam das oportunidades.

Dentre os alimentos que podem fazer parte da dieta do cachorro do mato estão frutas, anfíbios, artrópodes, répteis, ovos entre outros. Uma espécie que pode viver bem em diferentes habitats. Durante os meses de mais chuva preferem viver nas regiões mais altas e nos meses mais secos vivem em áreas mais baixas.

Cachorro do Mato

Cachorro do Mato

Cobra-dormideira-queimada-grande

A Cobra-dormideira-queimada-grande é muito temida pelo ser humano e merece esse status de perigo máximo. Espécie que é encontrada em outros habitats além da Amazônia é tida como uma guardiã das regiões em que vive. Geralmente essas cobras agem evitando que intrusos invadam seu habitar e claro que o homem está na lista dos que não foram convidados.

Em todas as regiões em que essas cobras são encontradas existem relatos de ataques a pessoas. A alimentação dessas cobras é bastante variada, mas de uma forma geral se alimentam de pequenos animais presentes no habitat. A coloração dessa cobra é um dos pontos de maior destaque da espécie.

Cobra-dormideira-queimada-grande

Cobra-dormideira-queimada-grande

Cobra Jararaca

Serpente venenosa frequente mortal quando ataca, há cerca de 30 espécies catalogadas na América do Sul.

Uma cobra que deve ser bastante temida, pois é a espécie que mais causa acidentes ofídicos no Brasil. Pode ser encontrada no país todo e pode ser identificada por ter manchas triangulares no topo da cabeça. Atrás dos seus olhos possui uma faixa preta, sua boca conta com escamas de coloração ocre.

O grande risco é que essa cobra arma o seu bote ao avistar a sua presa, não há muito tempo para se defender. O habitat favorito dessa espécie de cobra é próximo ao leito de rios e se alimenta de animais como ratos e sapos. Uma espécie que aproveita o dia para dormir embaixo de folhas úmidas ao sol.

Cobra Jararaca

Cobra Jararaca

Cuxiú-preto

O nome científico desse macaquinho é Chiropotes satanás, se caracteriza por ter uma pelagem preta bem escura e brilhante. Pode ser encontrado em regiões como a Amazônia e também em áreas próximas ao Rio Tocantins no Pará e o Rio Grajaú no Maranhão.

A alimentação do Cuxiú-preto tem como base folhas e frutos. O grande risco a existência dessa espécie é o fato de que eles vivem em árvores e o desmatamento não tem lhes deixado muitas opções de locais para viver. Já figura na lista de espécies em perigo crítico na Lista da IUCN.

Filhote de Cuxiú-preto

Filhote de Cuxiú-preto

Doninha Amazônica

Mamífero carnívoro que mede aproximadamente 30 centímetros.

Algumas espécies de animais parecem personagens de desenho animado, com certeza esse é o caso da doninha amazônica. Seu corpo é bem fino e seu pescoço longo, características que lhe conferem certa graça especial. Podem ser especialmente rápidos.

O nome científico dessa espécie é Mustela africana e se trata de um mamífero muito raro. A espécie é conhecida popularmente como furão. Uma espécie que está distribuída em regiões como a Amazônia, Peru e Equador. Está na lista de espécies da floresta amazônica ameaçadas de extinção.

Doninha Amazônica

Doninha Amazônica

Gato-maracajá

Os indivíduos dessa espécie são especialmente bonitos uma vez que tem seu corpo recoberto por manchas em forma de rosetas. A cauda dessa espécie de felinos é maior que seus membros posteriores. Os felinos dessa espécie podem ser avistados tanto na América Central como na América do Sul.

Uma das habilidades mais interessantes que esse felino possui é o de caminhar nas pontas dos galhos de árvores. Além disso, essa espécie ainda tem a capacidade de emitir sons semelhantes a pássaros e pequenos roedores, algo muito útil para atrair a atenção das presas.

gato-maracajá selvagem

gato-maracajá selvagem

Guariba de mão ruiva

A espécie Alouatta belzebul, conhecida popularmente como Guariba de mão ruiva, é endêmica do Brasil. Uma espécie presente na Amazônia, na Mata Atlântica e também no litoral da região Nordeste do Brasil. Uma espécie que somente consegue se desenvolver em regiões com floresta.

Esse é um dos motivos pelos quais essa espécie que se caracteriza por ter as mãos com um tom avermelhado está desaparecendo. O desmatamento da floresta faz com que a espécie não tenha mais onde viver. A cauda do Guariba de mão ruiva é do tipo preênsil. A base alimentar dessa espécie consiste em frutos, folhas e flores.

Guariba de mão ruiva mostrando a língua

Guariba de mão ruiva mostrando a língua

Harpia ou Gavião Real

Essa espécie é a espécie mais pesada de aves de rapina do mundo todo e está entre uma das maiores. Para se ter uma ideia as garras dessa ave são maiores que as garras de um urso. Uma das aves mais fortes que existem no mundo, as pernas da harpia podem apresentar a dimensão de um punho humano. Embora seja uma espécie de muita força física está perdendo a luta contra a extinção.

O problema que essa ave enfrenta é o do desmatamento das áreas florestadas, esse tipo de ave precisa de regiões de floresta para que possa se desenvolver e mesmo quando encontra uma área para viver tem a sua reprodução muito lenta. Consiste numa águia enorme que pode chegar a atingir entre 90 e 105 cm.

Harpia ou Gavião Real

Harpia ou Gavião Real

Jaguatirica

O nome científico da Jaguatirica é Leopardus pardalis e se caracteriza por ser um felino carnívoro. A distribuição dessa espécie é bastante acentuada começando nos Estados Unidos e culminando na Argentina. Contudo, muitas regiões já deixaram de contar com os indivíduos dessa espécie.

Um animal de porte médio que pode chegar a medir entre 73 e 100 cm, seu peso varia entre 7 e 15,5 kg. Tem pelos curtos e manchas que lhe são características. Quando mantida em cativeiro pode sobreviver por até 20 anos. Normalmente tem filhos a cada dois anos. Comumente nasce um filhote por vez.

Jaguatirica

Jaguatirica

Lobo Guará

Acredita-se que a espécie Chrysocyon brachyurus, conhecida como Lobo Guará, seja a mais próxima que existe atualmente do cachorro-vinagre. Uma espécie de canídeo que é endêmica da América do Sul. Um animal que dentre outros habitats pode ser encontrado no Cerrado.

Está distribuído no Brasil, Bolívia, Argentina e Paraguai. Em alguns países da América do Sul a espécie já é considerada extinta. No Uruguai existe a dúvida se ainda tem indivíduos dessa espécie ou se já acabaram. Não está ainda na lista oficial de espécies em ameaça, mas muitos países o classificam como em risco.

Lobo Guará

Lobo Guará

Macaco-aranha

Encontrado na Amazônia e na América Central essa espécie conta com algumas variações de indivíduos. Um dos nomes pelos quais esse mamífero é conhecido é coatá. Essa espécie está classificada como em perigo extremo de extinção devido a caça predatória.

Medindo entre 42 e 66 cm de comprimento essa espécie é a maior espécie de primatas das Américas. A cauda dos indivíduos dessa espécie tem em torno de 88 cm e podem pesar até 11 kg. Uma das características que lhe confere grande agilidade é ter os membros longos.

Macaco-aranha

Macaco-aranha

Macaco-de-Cheiro

Uma espécie de macacos com hábitos diurnos e se caracteriza por ser um animal pequenino. Pode chegar a medir em torno de 30 cm, a coloração desse macaco é realmente interessante. As partes superiores do seu corpo são de um tom de cinza-oliva, já os seus membros de um tom laranja.

Os indivíduos dessa espécie podem ser encontrados em regiões do Brasil, Bolívia, Peru, Suriname, Equador entre outros países. O seu habitat favorito é aquele em que existe uma vegetação de cobertura abundante. Alimenta-se de insetos e frutos.

Macaco-de-Cheiro

Macaco-de-Cheiro

Macaco-prego

Mamífero primata, espécie do gênero Cebus ou Sapajus. O macaco-prego é também conhecido como mico e se trata de um dos mais comuns da América do Sul. Existem várias espécies dentro do grupo das espécies de micos de maneira que pode ser um pouco confuso identificar os indivíduos. Esses macacos tem porte médio podendo chegar a medir até 48 cm sem a cauda.

Podem pesar entre 1,3 a 4,8 kg. Uma das características das espécies classificadas como mico é ter a sua cauda preênsil. Um animal com pelos de um tom de marrom e que recebeu o nome de macaco-prego devido ao fato de o órgão sexual masculino tem a forma de um prego.

Macaco-Prego

Macaco-Prego

Macaco Uacari-branco

Essa espécie de macaco possui uma característica física curiosa, sua cabeça é redonda e apresenta uma área calva. Os pelos dos indivíduos dessa espécie são lisos e bem longos. Em geral essa espécie não é vista com frequência porque prefere viver no topo das árvores.

A alimentação dessa espécie consiste numa variedade de brotos, sementes, frutos e folhas. A espécie tem como característica de comportamento ser diurno e pode viver em grupos que conte com até 20 indivíduos. Vivem numa área restrita da Amazônia.

Vive apenas na reserva de Mamirauá, no Amazonas, e que também está ameaçado de extinção devido a destruição de seu habitat. 

Uacari-branco

Uacari-branco

Mico Leão Dourado

Consiste numa espécie de macaco endêmica do Brasil, o seu peso é de mais ou menos 800 gramas. O nome popular da espécie vem da sua juba que tem um tom alaranjado bem forte. Aparece na lista de espécies que tem grande risco de ser extintas.

Uma curiosidade a respeito dessa espécie é que seu nome foi atribuído quando um indivíduo foi levado para Madame de Pompadour, em 1754, ocasião em que foi chamado de le petit singe-lion que em tradução literal significa pequeno mico leão dourado.

Mico Leão Dourado carregando filhote

Mico Leão Dourado carregando filhote

Onça Parda

A chamada onça parda pode ser conhecida ainda como suçuarana ou então como puma. Trata-se de um mamífero cujo comportamento é bastante terrestre e que tem sua distribuição de uma forma geral no Ocidente. Pode pesar até 72 kg e medir até 155 cm. Felino mamífero, também conhecido como Suçuarana, está presente em todas as Américas.

Trata-se de uma espécie que tem como característica principal ser muito solitário, pode viver uma média de 7 a 9 anos. Normalmente, esse animal passa a ser mais ativo quando chega a noite. A reprodução desses animais acontece a cada 2 anos e nascem entre 3 a 4 filhotes.

Onça Parda

Onça Parda

Onça-Pintada

Conhecida também como jaguar é um belo animal, esse é o terceiro maior felino do mundo, na sua frente apenas o tigre e o leão. De uma forma geral essa onça pode ser encontrada desde os Estados Unidos até a Argentina, mas já existem regiões em que não há mais indivíduos.

Um felino de grande porte que pode medir entre 56 a 92 kg e cujo comprimento varia entre 1,12 e 1,85 metros. Uma curiosidade é que mesmo essa onça sendo conhecida como pintada por suas manchas existem indivíduos completamente pretos.

Onça-Pintada

Onça-Pintada

Papagaio-verdadeiro

A espécie amazona aestiva é conhecida de forma popular como sendo o papagaio verdadeiro. O que destaca os indivíduos dessa espécie dos demais papagaios é que se trata de um papagaio verde. O tamanho desse papagaio é algo em torno de 38 cm e seu peso gira em torno de 400 gramas.

Uma forma de identificar os indivíduos dessa espécie é observar a íris dos seus olhos. Nos machos a íris tem o tom amarelo-alaranjado, já nas fêmeas a coloração é vermelho-laranja.

Papagaio-verdadeiro

Papagaio-verdadeiro

Peixe Boi da Amazônia

Mamífero conhecido popularmente como guaraguá, é encontrado em lagos e rios pertencentes à Bacia Amazônica. Um dos animais símbolo da Amazônia pode ser avistado em rios e lagos pela bacia amazônica como um todo. O comprimento desse animal pode chegar a 2,8 metros e tem como característica principal uma grande mancha branca no peito.

O espécime de peixe-boi da Amazônia é o menor dentre todos os peixes-boi. Também tem como diferença não ter unhas e nem nadadeiras. Essa espécie possui um couro muito grosso acinzentado. A sua alimentação tem como base gramíneas.

Casal de Peixe Boi da Amazônia

Casal de Peixe Boi da Amazônia

Peixe Pirarucu

Esse é um dos maiores peixes que vivem em água doce do nosso país. Um pirarucu pode chegar a medir 3 metros e existem alguns indivíduos dessa espécie que podem pesar até 200 kg. Encontrado de uma forma geral na bacia amazônica e nas regiões de várzea em que as águas costumam ser mais tranquilas.

O corpo do pirarucu é longo e recoberto de escamas enquanto que a sua cabeça é achatada e com muitos ossos. Em relação aos seus predadores naturais é muito resistente, porém, é muito vulnerável a pesca.

Peixe Pirarucu

Peixe Pirarucu

Pica pau cara amarela

A espécie Dryocopos galeatus pode ser conhecida como pica pau da cara amarela ou ainda como pica pau da cara canela. Trata-se da espécie de pica pau menos conhecido dentro da longa lista de espécies dessas aves.

Uma ave que possui grande porte chegando a atingir em torno de 30 cm de comprimento. O corpo desse pica pau pode ter inúmeras cores, o seu rosto possui a coloração amarela que lhe dá o nome popular. Está na lista de animais ameaçados de extinção no Brasil.

Pica pau cara amarela

Pica pau cara amarela

Rato do cacau

O nome popular do animal Callistomys pictus se deve ao fato de que essa espécie se adapta muito bem a vida em plantações de cacau. O peso desse animal é algo em torno de 450 gramas e chega a medir aproximadamente 62 cm. A base da sua alimentação é de folhas e frutas.

O corpo desse animal é coberto por pelos brancos e possui uma mancha escura que chega até a sua cabeça. Pode ser considerado um animal bonito, mas infelizmente está na lista de espécies ameaçadas.

Rato do cacau

Rato do cacau

Sauim

Sauim/Soim/Sagui-de-coleira ou de-Manaus (Saguinus Bicolor): hoje a espécie é encontrada apenas na Amazônia, mais especificamente na cidade de Manaus.

É pequeno, chegando no máximo a 23 cm, alimenta-se de insetos, frutos e néctar de árvores e vive em bandos. Devido ao desmatamento e ao tráfico, a espécie é considerada em perigo.

Sauim em galho de árvore

Sauim em galho de árvore

Tamanduá-bandeira

Um animal que é tido como um dos símbolos do nosso país e cujo nome científico é Myrmecophaga tridactyla. Pode ser encontrado tanto na América do Sul como na América Central. Seu comportamento é basicamente terrestre, seu comprimento varia de 1,8 a 2,1 metros.

Pode chegar a pesar em torno de 41 kg, tem como característica mais marcante ter um bico alongado. A sua pelagem também é bastante peculiar a essa espécie, os seus pelos são longos e permitem que ele seja parasitado por carrapatos.

Mamífero encontrado na América do Sul e Central, não possui dentes e se alimenta através de sua língua, que mede aproximadamente 60 centímetros.

Tamanduá-bandeira

Tamanduá-bandeira

Tatu-Canastra

Uma espécie de tatu que tem grande porte e que de uma forma geral é encontrado na América do Sul. Um tatu que pode chegar a medir em torno de 1 metro, seu corpo conta com pelos além de garras em suas patas.

Uma das grandes dificuldades que essa espécie está enfrentando é o desmatamento, aliás, é por isso que está na lista de espécies sob ameaça de extinção. Pode ser conhecido ainda como tatu carreta.

Tatu-Canastra

Tatu-Canastra

Tucano de Bico Preto

Uma espécie de tucano que tem como habitat favorito as florestas tropicais como a floresta amazônica. Em nosso país pode ser ainda encontrado numa grande faixa de litoral. A sua característica mais marcante é ter um bico de um tom de preto vibrante. Ave que possui grande beleza, tendo o bico preto, peito amarelo e parte dos olhos em tom de azul.

As fêmeas da espécie podem botar entre 2 e 4 ovos por vez e o período de incubação dura mais ou menos 18 dias. A responsabilidade do macho dessa espécie é alimentar a fêmea que faz o trabalho de incubação dos ovos sozinha.

Tucano de Bico Preto comendo

Tucano de Bico Preto comendo

Outros animais ameaçados e a importância da preservação

Além das espécies citadas, há muitas outras em extinção ou estado de vulnerabilidade, como a Ararinha-Azul, Arara-Vermelha, Cachorro-do-Mato, Lobo Guará, Pica-pau-de-cara-amarela, Boto-cachimbo, onça pintada e ainda outros.

Para que esses animais não se acabem na natureza, o Ministério de Meio ambiente incentiva a criação de diversos projetos que visem a diminuição do desmatamento na Floresta Amazônica, principalmente através do uso de tecnologias e estudos de impacto quanto a criação de comércios e residências na região.

A tarefa de preservar o ambiente não pode ser somente delegada às autoridades competentes e ao Governo Federal, mas é tarefa que deve ser abraçada por toda a sociedade, a começar da população regional, que pode denunciar anonimamente as madeireiras e indústrias que causem algum malefício à floresta, já que diretamente são eles os maiores prejudicados, pois tiram seu sustento da própria natureza.

Todas as denúncias contra o desmatamento da floresta podem ser feitas diretamente ao IBAMA,  através da chamada Linha Verde ligando no número 0800.61.8080 (ligação gratuita para todo o Brasil), não sendo necessária a identificação.

Conclusão

Todo mundo sabe que a Amazônia é a maior reserva natural do mundo, ou seja, representa a maior biodiversidade, uma enorme variedade de espécies de animais, plantas, bactérias e fungos.

Onça Pintada

Onça Pintada

Entretanto, ela esta sendo destruída todos os dias, sofrendo com desmatamento, queimadas, os animais que estão em extinção devido a isso, porém as pessoas não tomam uma atitude para ajudar o nosso planeta, elas acabam contribuindo cada vez mais, para o fim.

Ararinha Azul

Ararinha Azul

Neste artigo mostramos uma lista dos animais da Amazônia que sofrem ou sofreram extinção. Vimos que essa lista não é pequena, já que a Amazônia é a maior reserva natural, onde poderia ser encontrada bilhões de espécies, se não fosse tudo o que vem acontecendo com ela!

 

Em 2003 foi divulgada uma lista com 386 espécies que estavam sendo ameaçadas; 2 espécies já extintas, e havia mais, só não foram divulgados pelo IBAMA.

Através de pesquisas foi possível ver que de 2002 para 2003 não foram muitas as espécies extintas, dentro do mamíferos, anfíbios, répteis e insetos, porém o numero de invertebrados cresceu de uma maneira assustadora, de 21 foi para 30.

Cresceu também o número de aves, porém em escala menor, de 153 para 156.

Os cientistas dizem que somente 10% das espécies existentes na Amazônia brasileira, são conhecidas.

Mico-Leão-Dourado

Mico-Leão-Dourado

Vale lembrar que a biodiversidade fornece para o planeta a matéria- prima para produtos essenciais como alimentos, madeira e medicamentos. Traz benefícios indiretos quando ajuda o equilíbrio do clima se manter, ao purificar o ar e a água, ao promover a reciclagem dos nutrientes do solo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Informações

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • &u gostei muito do site ele é muito intereçante pois tem muitas coisas do meu interese ……

    The &nd *

    Lorenaa 6 de maio de 2011 20:13
  • legal

    la12312 9 de agosto de 2011 17:38
  • show

    lucca 5 de dezembro de 2011 14:15
  • um absurdo mata todos os animais

    vitoria 1 de abril de 2013 14:03
  • que bom

    karine e jessicaNome 13 de maio de 2013 16:39
  • otimó parabéns

    lucas 6 de junho de 2013 10:19
  • Nossa adorei a imagem da arara-azul que eu precisava mais eu precisava mesmo é do texto em que fala sobre ela ou seja tive o que eu precisei…. ameiiii

    Amanda fera 7 de novembro de 2013 23:18
  • É um absurdo fazerem isso com os coitados dos animais principalmente da arara azul

    Sara Caroline 27 de fevereiro de 2014 20:27

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *