Sapo Cururu – Distribuição Geográfica

Originário das Américas Central e o Sul, o Sapo Cururu, tem como nome científico Rhinella marina, já foi chamado de Bufo marinus. Como se trata de um sapo com grande apetite foi inserido em outros habitats, como arquipélagos do Caribe e no Oceano Pacífico, para ajudar a fazer o controle de pragas especialmente aquelas que atacam as plantações de cana-de-açúcar.

Pode ser chamado somente de Cururu ou de Sapo-Boi e se destaca dentre os demais sapos suas grandes glândulas de veneno. O sapo que já foi visto como um grande aliado para o controle de espécies indesejadas atualmente é como uma praga também devido a sua elevada toxicidade que afeta as pessoas das comunidades em que ele vive.

Conhecendo Melhor o Sapo Cururu

O tamanho desse sapo é algo que impressiona, para se ter uma ideia em média esse animal mede entre 10 e 15 cm. Contudo, existem exemplares que ultrapassam os 50 cm, tudo depende das condições de vida que o animal possui. Quando mantido em cativeiro esse sapo pode viver até 20 anos, inserido na natureza sua expectativa de vida é de 10 a 15 anos.

Conta com pele de textura seca e grandes protuberâncias sobre os seus olhos que chegam até a altura do focinho. Os olhos do Sapo Cururu ganham destaque pelo fato de que suas pupilas são horizontais e as suas íris apresentam um curioso tom de dourado. Esse animal não tem pálpebras inferiores. Os seus dedos também são curiosos, nas patas traseiras conta com membranas interdigitais (que unem os dedos) enquanto nas patas dianteiras tem seus dedos livres.

Ciclo de Vida do Sapo Cururu

Assim como acontece com boa parte dos anfíbios o Sapo Cururu tem seu ciclo de vida marcado por uma metamorfose. A reprodução da espécie começa a postura de óvulos pela fêmea e pela seguinte fertilização realizada pelo macho. Para atrair as fêmeas os machos coaxam reproduzindo um som que se assemelha ao ronco de um motor. No momento em que se encontram o macho enlaça a fêmea pela cintura e ela então coloca os ovos que serão banhados pelo esperma do companheiro.

Uma fêmea Cururu pode botar entre 4 e 36 mil ovos por ninhada, não há um período de reprodução, esse processo pode acontecer durante o ano todo. Como são animais oportunistas podem aumentar a sua população com grande facilidade. Os ovos são colocados em filamentos longos ao redor de plantas ou então submersos. O período para eclosão dos ovos é de 10 a 16 dias e os girinos precisam de 30 a 60 dias para se desenvolver passando então pela metamorfose para se tornarem adultos.

Glândulas de Veneno do Sapo Cururu

Os sapos adultos apresentam grandes glândulas de veneno posicionadas atrás dos seus olhos e nas suas costas. Se é feita pressão sobre essas glândulas elas expelem um líquido branco com textura leitosa formado por inúmeras toxinas chamadas de bufotoxinas. São substâncias potencialmente perigosas para animais e até para seres humanos, existem registros de morte de crianças após o contato com o veneno.

Como os Sapos Cururu quando pequenos não tem essas glândulas se mostram mais vulneráveis de maneira que uma quantidade pouco expressiva deles consegue sobreviver até a idade adulta.

Sapo Cururu – Um Caçador

Os sapos de uma maneira geral tem a habilidade de detectar a presa pelo movimento, além dessa capacidade o Cururu também pode encontrar seu alimento pelo olfato. Porém, mesmo com talento para a caça esse animal pode sobreviver se alimentando de restos orgânicos, plantas e até mesmo de resíduos domésticos do homem. Os Sapos Cururus estão entre as poucas espécies de sapos onívoros.

Predadores do Sapo Cururu

Para escapar dos seus predadores esse sapo pode inflar os seus pulmões parecendo maior do que realmente é. Esse sapo é considerado presa para muitos animais como jacaré-do-papo-amarelo, alguns tipos de peixes e serpentes. Os predadores têm adaptações para evitar as toxinas do corpo do sapo ou então tem resistência às mesmas.

Comportamento do Sapo Cururu

Embora o nome científico transmita a ideia de um sapo com intensas atividades marinhas, o Cururu, não precisa da água para sobreviver e passa boa parte da sua vida longe dela. Em geral procura água doce somente para se reproduzir, não tem por hábito se estabelecer em florestas ou pradarias, algo que tornou difícil para a espécie se disseminar em alguns habitats em que foi artificialmente introduzido.

Distribuição Geográfica do Sapo Cururu

A espécie tem sua origem nas Américas tendo incidência desde a Bacia do Rio Grande, Texas, Estados Unidos até o sul da Bacia Amazônica. Os habitats nessa ampla região incluem condições de vida semiáridas e tropicais. Algo bastante curioso é que a densidade desses sapos é muito superior nos locais em que foram introduzidos artificialmente.

Enquanto na América do Sul há o registro de 20 sapos adultos para cada 100 metros de litoral na Austrália a densidade é de 1.000 a 2.000 sapos para cada 100 metros. Uma espécie que não apresenta riscos de extinção. Atualmente, esses sapos se tornaram pragas em muitos países por terem sido introduzidos no meio ambiente como um mecanismo de controle de outras pragas.

Somente até o ano de 1844 esses sapos já haviam sido levados para Barbados, Martinica e Jamaica – nesse caso para o controle de ratos, não foram bem-sucedidos. Em 1920 foi a vez de Porto Rico receber esses sapos para o controle de escaravelhos que estavam acabando com as plantações de cana-de-açúcar. Em 1931 a população de escaravelhos havia sido reduzida – não se tem certeza se por obra do sapo. Outras regiões que se valeram do Sapo Cururu para controle de pragas são Japão, Filipinas, Flórida, Riukyu e ilhas Ogasawara.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Anfíbios

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *