O Que é Displasia?

A Displasia é um termo genérico que é utilizado pela medicina para designar a ocorrência de anomalias que são relacionadas ao desenvolvimento de algum órgão ou tecido que está intimamente relacionada com a leitura do código genético. Esse tipo de ocorrência aparece em todos os animais inclusive no homem.

O termo Displasia também pode se referir a um local que cresceu de forma anormal e que pode a vir a se tornar um tumor maligno. Tire algumas das suas dúvidas a respeito da Displasia nesse artigo. Além de apresentar a vocês um pouco mais de detalhes sobre a doença iremos dar um enfoque nos tipos de Displasia mais comuns.

As Características Da Displasia

As características que a Displasia apresenta na observação no microscópio inclui:

  • Anisocitose  – Células com diferentes tamanhos no sangue.
  • Poiquilocitose – Células que tem forma anormal das células do sangue.
  • Hipercromatismo – Manchas com uma cor escura.

Dessa forma podemos entender que o termo Displasia é utilizado para designar um processo e as consequências de um distúrbio da histogênese, ou seja, se refere basicamente a um defeito da organização dos tecidos.

Os Níveis De Displasia

A Displasia consiste numa lesão celular que se mostra reversível e é desencadeada por irritantes crônicos. A sua alteração pode acontecer na forma, organização ou tamanho de um determinado tecido ou epitélio e pode variar em três níveis.

  • Leve
  • Moderada
  • Grave

Quando a Displasia atinge o nível grave pode ser denominado como “in situ” que caracteriza um tipo de tumor precoce.

Os Tipos De Displasia

Confira abaixo alguns dos tipos mais comuns de displasia.

  • Displasia da bacia
  • Displasia do colo do útero
  • Displasia condroectodérmica
  • Displasia cervical
  • Displasia cortical focal
  • Displasia cromossómica parcial
  • Displasia coxofemoral
  • Displasia dentinária
  • Displasia diastrófica
  • Displasia ectodérmica
  • Displasia esquética
  • Displasia faciogenital
  • Displasia fibrosa
  • Displasia fibromuscular
  • Displasia mamária
  • Displasia óculo-aurículo-vertebral
  • Displasia tanatofórica

Tratamento

Em geral os tratamentos utilizados para combater a displasia são medicamentos, fisioterapêuticos e cirúrgicos.

Conheça alguns detalhes sobre alguns dos tipos de Displasia que mais chama a atenção da medicina.

Displasias Ectodérmicas

As Displasias Ectodérmicas (DEs) se caracterizam por serem distúrbios do desenvolvimento dos tecidos derivados da ectoderme e consistem em alterações na epiderme e nas estruturas que são suas acessórias. Esse tipo de alteração se manifesta principalmente nos pelos, cabelos dentes, unhas e glândulas (destaque para as sudoríparas e sebáceas).

Essas displasias ectodérmicas compõem um grande e complexo grupo nosológico. Além de raras tem quase sempre etiologia genética, ou seja, são em grande parte herança monogênica. Um exemplo é a síndrome de Christ-Siemens-Touraine que é uma herança recessiva que está ligada ao X.

Ainda há casos em que existe uma suposta heterogeneidade de loco como, por exemplo, a síndrome de Coffin-Siris e a síndrome de Hallerman-Streiff. Nesse grupo também existem doenças de causas desconhecidas como a síndrome de Carey e muitas outras em que o mecanismo de herança genética é duvidoso como na síndrome de Gorlin-Chaudhry-Moss que muitos acreditam que seja herdade de modo autossômico recessivo.

A Fenotipia Das Displasias Ecotodérmicas

Quando observamos as doenças do ponto de vista fenotípico existe uma variabilidade bastante grande de sinais clínicos. Além de alterações em das alterações em estruturas de origem ectodérmica os pacientes que tem essas doenças podem chegar a apresentar fissuras lábio-palatinas como, por exemplo, nas síndromes de Rapp-Hodgkin e da ectrodactilia-displasia ectodérmica-fissura lábio palatina ou EEC.

Também é possível observar algumas alterações em membros como acontece na síndrome odontotricomélica hipoidrótica e retardo mental em casos como a síndrome de Schinzel-Giedion. Devemos destacar ainda que nesse universo de síndromes causadas por displasia existem algumas que são bastante estudadas e outras sobre as quais existe pouca luz pelo fato de não suscitarem grandes estudos e investigações.

Displasia Dentinária

A Displasia Dentinária, como o próprio nome sugere, afeta os dentes e é causada por uma herança autossômica dominante. Se caracteriza pela presença de esmalte normal nos dentes, porém, com uma morfologia atípica da dentina pulpar.

Essa doença se caracteriza por dois tipos, o primeiro é o tipo radicular (Tipo I) e o segundo é o tipo coronal (Tipo II). No primeiro tipo as raízes dos dentes são mais curtas do que o convencional e as raízes acabam sendo mais curtas e cônicas. No segundo tipo a displasia se parece com um outro tipo de doença dentária que é a dentinogênese imperfeita do Tipo II.

Displasia Óculo-Aurículo-Vertebral

A displasia Displasia Óculo-Aurículo-Vertebral também pode ser chamada de de Síndrome de Goldenhar. Tem como principal característica causar desordem e o seu desenvolvimento é raro. Essa displasia está ligada a um defeito genético e pode causar graves anomalias na coluna vertebral bem como assimetria facial.

A primeira vez que essa displasia foi descrita foi no de 1952 por Goldenhar. Para ele a doença era uma combinação de tumores epibulbares dérmicos, pavilhões auriculares com má formação e apêndices peri-auriculares. O diagnóstico dessa doença é feito em geral no período gestacional com a ajuda de uma ecografia fetal e depois do nascimento usando ressonância magnética nuclear ou radiografias.

Displasia Faciogenital

A Displasia Faciogenital é conhecida também como Síndrome de Aarskog, trata-se de uma doença genética bem rara. Em média existem 101 casos relatados no mundo todo. Dentre as características dessa displasia estão a baixa estatura (pode não ser evidente até que a criança tenha de 1 a 3 anos), atraso da maturação sexual, fenda larga sobre o lábio superior e dobra abaixo do lábio inferior.

Essa síndrome está ligada ao cromossomo X e tem caráter recessivo, afeta em geral os indivíduos do sexo masculino. Outra denominação pela qual é conhecida essa síndrome é Aarskog-Scott.

Displasia Coxofemoral – A Displasia De Cães e Gatos

A displasia coxofemoral é uma doença hereditária que vitima cães e gatos e está representada pela disparidade que existe entre a massa muscular primária e o crescimento ósseo rápido. Isso gera uma instabilidade na articulação coxofemoral.

Pode acontecer em cães e gatos de todas as raças, mas principalmente nas raças grandes e de crescimento rápido. Podemos dizer que é bem improvável que animais com menos de 12 kg sejam acometidos por essa doença. Em relação aos gatos essa doença é bastante rara.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Doenças

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • Poderia me indicar um profissional que desenvolva este trabalho no Rio de Janeiro?
    Agradeço muito.

    Mara Lima 12 de fevereiro de 2015 16:18

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *