Mamute: Animal Pré-histórico Do Período Paleolítico

O Mamute é uma dos animais pré-históricos mais conhecidos que existem no mundo, no entanto eles estão extintos há mais de 4.000 anos, e foram animais bastante comuns no período Paleolítico. Nessa época, os Mamutes eram uma das grandes fontes de alimento (carne) e de outros materiais (couro, ossos e etc.) para o homem da antiguidade.

O termo Mamute se refere a elefantes fósseis que viviam na época antiga, que apresentavam características muito especificas, e que eram parentes dos Mastodontes, outra espécie de animais pré-históricos (elefante primitivo).

De acordo com os estudos dos paleontólogos (pessoas que estudam os fosseis), o Mamute é o animal extinto que possui a maior quantidade de informações descobertas (aparência, comportamento, biologia e outras informações).

As Espécies De Mamute

Todas as espécies de Mamute identificadas pelos estudiosos estão abrigadas em um único gênero: o Mammuthus. Entre as espécies de Mamute conhecidas, pois foram encontrados fosseis, estão 11 (onze) tipos diferentes de Mamutes, conforme relação abaixo:

  • Mammuthus Columbi (Mamute Columbiano);
  • Mammuthus Primigenius (Mamute Lanoso);
  • Mammuthus Meridionalis (Mamute Ancestral);
  • Mammuthus Trogontherii (Mamute da Estepe);
  • Mammuthus Exilis (Mamute Pigmeu);
  • Mammuthus Imperator (Mamute Imperial);
  • Mammuthus Calvanus;
  • Mammuthus Lamarmorae (Mamute Anão da Sardenha);
  • Mammuthus Subplanifrons (Mamute Sul Africano);
  • Mammuthus Africanavus (Mamute Africano);
  • Mammuthus Jeffersonii (Mamute de Jefferson);

As Características Do Mamute

O Mamute era um animal mamífero, que se caracteriza por ser um animal vertebrado e que possuem nas fêmeas as glândulas mamarias que fazem a produção de leite, que irá servir de alimento para os filhotes destes animais.

Os Mamutes também se caracterizam por terem sido animais cordados, isto é, possuem a notocorda que é uma espécie de bastão rígido de células envolvidas por uma bainha, que se estende pelo comprimento do corpo, com o intuito de conceder rigidez ao corpo.

O Mamute fazia parte da família de animais chamada Elephantidae, que é a mesma família dos elefantes, e por isso apresentava muitas semelhanças a esses animais tão conhecidos por nós, como por exemplo a presença da tromba e a dentição (se distinguia apenas pelo numero de cristas dos molares).

Os elefantes são considerados como os únicos animais ou descendentes dos enormes mamíferos que habitavam a terra nos tempos antigos, tanto os elefantes como os mamutes são chamados de proboscídeos (mamíferos que possuem trombas).

No entanto, os Mamutes eram maiores que os elefantes, pois chegavam a atingir 5,0 (cinco) metros de altura, possuíam pelos de coloração cinza escuro, crânio curto e alto de topo pontiagudo e presas grandes de marfim. As presas longas era uma das características que diferenciava os Mamutes de outros animais, além de serem de marfim, uma substancia muito cobiçada na modernidade, pois com esse material pode ser produzido uma serie de objetos e utensílios.

Os Mamutes eram animais sociáveis, pois eles viviam em manadas (grupos) e se caracterizavam por serem animais herbívoros, isto é, se alimentavam de folhas, frutas, raízes e vegetais de uma maneira geral. Eles viviam nas regiões de clima frio e temperado do planeta.

Existe comprovação cientifica, pois foram encontrados fosseis do Mamute em regiões da Europa, Ásia e América do Norte, que esses animais viveram nessas localidades.

Um exemplo são os achados de fosseis do Mamute Lanoso encontrados na Sibéria, por volta do ano de 2004. Essa espécie de Mamute habitou a Europa, a Ásia e América do Norte, onde foram encontradas partes esqueléticas dos animais, assim como espécies congeladas com material orgânico mole (como por exemplo músculos e as vísceras).

A Extinção Dos Mamutes

Os Mamutes eram animais que serviam como alimento para os homens do período Neolítico. Os homens daquela época caçavam os Mamutes fazendo uso de armadilhas, como por exemplo, faziam os Mamutes caírem das montanhas.

A carne de Mamute era utilizada na alimentação dos homens e a pele era utilizada para a fabricação das roupas. No entanto, o fato dos homens Neolíticos caçarem os Mamutes, não foi o principal motivo de extinção desses animais. Pois, a mudança climática pela qual passou o planeta no fim da Era Glacial, foi o fator preponderante para esse acontecimento.

Os Mamutes eram animais completamente adaptados ao frio (um exemplo disso foi o desenvolvimento de pelos sobre o corpo, que auxiliavam o animal a manter a temperatura corpórea agradável), e o planeta acabou ficando muito mais quente.

Com o aquecimento que passou o planeta naquele período, as grandes áreas com vegetação típica para a alimentação dos Mamutes acabou desaparecendo e dando lugar a florestas úmidas, o que diminuiu de forma considerável a quantidade de alimento disponível para esses animais, o que ajudou no processo de extinção dos Mamutes.

A Clonagem De Mamutes

Devido as descobertas recentes, e através das inúmeras pesquisas realizadas por geneticistas do Japão e dos Estados Unidos acredita-se na possibilidade da coleta de material genético dos Mamutes Lanosos encontrados na Sibéria, e fazer com que a espécie volte a habitar o nosso planeta através da clonagem.

Os estudiosos estão buscando coletar amostras do DNA dos Mamutes Lanosos e fazer a reconstrução do código genético da espécie. Conforme os estudos existem duas formas de se realizar a façanha de reinserir o Mamute no planeta terra:

  1. Hibridização do DNA – uma das possibilidades é realizar a hibridização do DNA do Mamute encontrado na Sibéria com o Elefante Asiático Moderno. No entanto, os estudos revelarem um problema que é a quantidade diferente de cromossomos entre os mamutes e os elefantes, o que pode prejudicar o cruzamento das espécies;
  2. Recriação do Código Genético – a outra possibilidade é recriar o código genético dos Mamutes e colocar em um óvulo de elefante. Para desenvolvimento de um Mamute completo é necessário retirar o material genético do elefante do óvulo. Devido o fato da diferença genética entre as espécies ser muito pequena, o procedimento de maneira teórica pode dar certo;

Por isso é possível que em pouco tempo (os especialistas estimam que em 2017 o objetivo já deva ter sido alcançado), tenhamos a possibilidade de ver um Mamute clonado e vivo. Contudo, será necessário ver como o animal iria reagir e viver no mundo atual e qual o futuro da espécie clonada, pois as condições do planeta são completamente distintas da época em que estes animais viveram.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *