Cavalo de Vaquejada

A atividade competitiva conhecida como “Vaquejada” se trata de uma espécie de esporte difundido na região nordeste do Brasil. Basicamente dois vaqueiros (montados em cavalos) devem alinha o boi de maneira que ele fique emparelhado entre os cavalos. Com esse emparelhamento o animal deverá ser levado para o objetivo que está nas duas últimas faixas de cal do parque em que a Vaquejada acontece. Nesse ponto o animal deve ser derrubado.

Trata-se de uma atividade que ganhou muita popularidade na segunda metade do século 20 e que se tornou foco de inúmeras discussões durante a segunda década do século 21. Ativistas que lutam pelos direitos dos animais passaram a defender os bois que sofrem de maus tratos durante as atividades da Vaquejada e podem ter até mesmo o rabo arrancando ou sofrer fraturas decorrentes de quedas.

A História das Vaquejadas

Tudo começou pelo fato de que as fazendas de gado não tinham cercas e então no mês de junho – o momento em que passava a estação chuvosa – os fazendeiros faziam a chamada “festa de apartação” em que eram reunidos inúmeros vaqueiros que tinham como objetivo buscar os bois que acabavam ficando misturados com os bois dos vizinhos. Os vaqueiros ainda deviam fazer a separação daqueles que iriam ser vendidos e daqueles que seriam castrados ou ferrados.

Para trabalhar com esse manejo era necessário ser corajoso e ter certa habilidade. Nesse momento da apartação havia alguns bois que recebiam o nome de “marueiro” ou “barbatão” que eram aqueles que escapavam do rebanho ou apresentavam resistência aos esforços dos vaqueiros de chama-los. Os bois mais resistentes eram então perseguidos e derrubados pelos seus rabos.

Pegada de Boi

A forma como esses bois eram pegos no meio da caatinga por seus rabos passou a ser chamada de “pegada de boi” e dava aos vaqueiros que participavam da mesma fama. Os cavalos de Vaquejada também ganhavam certa fama por seu desempenho. Os vaqueiros que conseguiam derrubar o boi barbatão ainda recebiam um prêmio que poderia ser o animal ou então um valor em dinheiro.

Com o passar do tempo essas caçadas aos bois fujões deixaram de ser um trabalho e passaram a ser um ritual de festa que atraía os vaqueiros e também as pessoas da comunidade do entorno.

Corridas do Morão

Durante os anos 1940 alguns vaqueiros dos estados da Bahia e do Ceará passaram a fazer a divulgação das suas fantásticas habilidades para com o rebanho através de uma atividade que recebeu o nome de “corrida de morão” (ou mourão).

A diferença dessa atividade para a pegada de boi era que a corrida acontecia nos pátios das fazendas. Os vaqueiros faziam um tipo de desafio entre si correndo um de cada vez atrás de um boi no pátio da fazenda. O vencedor do desafio era aquele que conseguisse mais destaque na puxada do boi.

Bolão

Depois de algum tempo se tornou comum que fazendeiros de inúmeras partes da região nordeste começassem a fazer um novo tipo de vaquejada em que os vaqueiros precisavam pagar uma determinada quantia em dinheiro para que pudessem participar. Esse dinheiro era usado para organizar o evento e para dar prêmios para os vencedores.

Os Cavalos e a “Arena” do Bolão

Nesse tempo os cavalos usados para as vaquejadas eram cavalos nativos da região, conforme o tempo passou eles foram sendo trocados por animais que tinham linhagem melhor. Além dos animais o local de realização da vaquejada também evoluiu, pois passou de um chão de terra batida e cascalho para um local com areia e delimitação de limites.

As duplas tinham direito de correr três bois sendo que o primeiro boi valia 08 pontos, o segundo tinha o valor de 09 pontos e o terceiro tinha valor de 10 pontos. Os pontos eram então somados no fim da vaquejada para que fosse feita uma contagem de pontos e dupla que tivesse a maior quantidade de pontos era sagrada como campeã e levava um prêmio em dinheiro. Devido a isso que esse tipo de atividade recebeu o nome de bolão.

A Vaquejada Atual

As vaquejadas acabaram se tornando um negócio que movimenta mais de 50 milhões de reais todos os anos. Esse valor gira em torno das premiações, espetáculos e a publicidade que é feita para atender ao público das vaquejadas. Para se ter uma ideia cada evento de vaquejada tem um investimento que fica em torno de 800 mil reais. Um vaqueiro em começo de carreira faz um investimento em torno de 10 mil reais.

Os Maus Tratos aos Animais

Da mesma forma que o rodeio é visto como uma atividade que inflige maus tratos a animais, a vaquejada, também é cercada de críticas. Dentre os argumentos utilizados pelos defensores dos direitos dos animais estão que os bois passam por forte estresse bem como desespero durante o encurralamento.

As agressões seguem para o nível físico com agressões além de choques elétricos e pancadas com o objetivo de fazer com que o boi fuja. Essas agressões são realizadas sem que haja nenhum tipo de anestesia. Os cavalos também sofrem com os maus tratos uma vez que recebem golpes de esporas que são infligidos pelos vaqueiros.

Também devem ser considerados como maus tratos perseguir os bois lhe puxando o rabo. Existem relatos de consequências bastante nocivas da tração forçada que é feita na cauda bem como a derrubada do boi. Os animais podem sofrer com fraturas nas patas além de traumatismos e deslocamento da articulação da cauda que pode fazer com que a mesma precise ser amputada.

Tem ainda um fator que os próprios organizadores das vaquejadas reconhecem que é o de que o boi pode não conseguir levantar depois de ter sido derrubado. A prova tem o julgamento feito mesmo que o boi esteja inerte no chão. Devemos ressaltar que existem questões éticas que devem ser debatidas quando se trata de vaquejadas.

É Esporte?

Algumas atividades como vaquejadas, rodeios e touradas são vistas como esportes ou manifestações culturais, no entanto, será que podem mesmo ser definidas dessa maneira? Quando a base do esporte ou de um evento de entretenimento está na violência praticada contra um ser vivo será que vale mesmo a pena?

 

Existem muitos animais no mundo e cada um possui características peculiares de sua raça, sendo até mesmo utilizado para propósitos diferentes. Os cavalos sempre estiveram presente na vida do homem, facilitando alguns trabalhos.

Atualmente eles foram substituídos por máquinas e carros, mas ainda são utilizados, como em vaquejadas. Esses cavalos são treinados para se tornarem ágil e fortes. Confira algumas fotos.


Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • eses cavalos sao d+++++ e os meus tambem

    Nomeweverton 12 de maio de 2013 10:31

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *