Animais Que Vivem No Gelo

De acordo com pesquisas, de cunho científico, o Ártico pode vir a ficar sem nenhum gelo até o começo do próximo século e também a Antártida vem passando por problemas que têm como consequência, o tão malfadado aquecimento global. E, esse aquecimento acarreta a extinção ou quase, dos animais que vivem no gelo e se alimentam de espécies que só podem ser encontradas no local.

Animais Que Vivem No Gelo

Animais Que Vivem No Gelo

O Aquecimento Global

Entretanto, como já mencionamos, há espécies de animais que precisam desse habita para sobreviver, pois nasceram e vivem somente se for daquela forma, ou seja, rodeados de gelo e com um clima extremamente frio, contando com temperatura abaixo de 0 graus. Com o derretimento do gelo decorrente do aumento da temperatura na Terra, esses animais passam a ter a saúde drasticamente afetada.

Toda a fauna existente no gelo e nos mares em volta da Antártica é extremamente abundante e diversificada. Sendo composta especialmente por milhares de animais invertebrados, tais como as anêmonas, esponjas, ouriços-do-mar e estrelas-do-mar.

Quando as condições ambientais ficam afetadas, acaba influindo em tudo para esses animais, o que inclui a reprodução e o crescimento dos mesmos, podendo fazer com que eles cresçam mais lentamente e aumentem o tamanho, e ainda se reproduzem de maneira mais vagarosa.

Os Animais Que Vivem No Gelo

Os animais e a alimentação: Durante o decorrer do inverno, o Ártico fica todo coberto por grossas camadas de gelo e, por isso, a temperatura chega a medir -60°. Já durante a estação do verão a vegetação principal fica sendo a tundra, ocupando um enorme espaço e nas áreas consideradas como mais quentes, pode-se encontrar bétulas e salgueiros.

Se formos relacionar o número de espécies, veremos que há bem poucas, havendo, por exemplo, focas, ursos-polares e bois-almiscarados. Em regiões onde há tundra, podem ser encontradas algumas espécies de lemingue, lebre, caribu e esquilos. Servindo muitos destes como alimentos para lobos e raposas do Ártico.

Krill: são animais pertencentes ao grupo dos invertebrados e são parecidos com o camarão, sendo bastante importante para a cadeia alimentar de diversos animais, servindo de fonte de alimentação para baleias, lulas, focas, pinguins e ainda outras aves. As mais comuns que se alimentam de krill são os albatrozes, pinguins e petréis, ainda que a maior dos pinguins viva na Antártida há aqueles que habitam os trópicos, como aqueles que ficam nas Ilhas Galápagos.

Boi Almiscarado: Este é um animal bastante diferenciado, já que possui em todo o corpo os pelos bem mais compridos entre do que os demais mamíferos. Estes podem chegar a medir até um metro de comprimento, se transformando numa proteção bastante eficiente para enfrentar as baixas temperaturas. Esses bois podem ser encontrados especialmente nas regiões da Groenlândia, Ártico Canadense, e ainda no Alasca. Os machos possuem chifres em forma pontiaguda para auxiliar na defesa de filhotes, já que quando os pequeninos são atingidos por lobos, os machos fazem um círculo em volta dos filhotes, de maneira a protegê-los de todo ataque. As fêmeas se reproduzem a cada dois anos, dando à luz apenas um filhote.

Foca: esse animal tem em seu corpo uma grossa camada de gordura, que fica localizada embaixo do pelo e atua como uma espécie de isolante térmico, de maneira a preservar o animal das baixíssimas temperaturas. Essa gordura localizada faz com que a foca se torne mais molenga e bastante desajeitada especialmente quando está acima do gelo, mas dentro d’água é uma exímia nadadora, mergulhando com facilidade até atingir locais mais fundos para conseguir se alimentar com facilidade.

As focas costumam se agrupar em grandes colônias, sendo que podem chegar a ter em cada uma, milhares de animais. Quando chega a fase do acasalamento, os machos procuram atrair as fêmeas dando cambalhotas.

Os filhotes de focas têm aparência bastante diferenciada de um indivíduo adulto, se assemelhando a grande bola de neve.  Algumas espécies podem chegar a viver por até 20 anos.

Leão-marinho: este animal é considerado como uma espécie de primo da foca, mesmo sendo bastante diferentes, já que possuem patas dianteiras que auxiliam no apoio, permitindo que fiquem com maior agilidade na hora de se movimentar. Outro ponto diferencial é que os leões têm pequenas orelhas, que ficam bem visíveis.

No período de acasalamento, um indivíduo macho chega a possuir mais de 30 fêmeas, sendo que ele é escolhido por elas e não vice-versa.  A gestação das fêmeas tem duração de dez meses e dela nasce um filhote apenas, que amamenta durante aproximadamente dois anos. As mães reconhecem seus bebês através do cheiro e da voz, havendo diversas espécies de leões-marinhos.

Morsa: é um animal mamífero com aparência bastante diferenciada, semelhante a uma grande foca, porém, com grandes presas e pele enrugada. As presas nos indivíduos machos podem chegar a medir um metro, e atuam como trituradores dos principais alimentos: caranguejos e moluscos que são encontrados em águas geladas.

No período de acasalamento as presas enormes são transformadas em armas, pois os machos as utilizam para batalhar por suas fêmeas.

Pinguins: São aves propícias das regiões geladas, mas ao contrário de outros animais, se adaptaram muito bem ao frio, já que possuem uma plumagem e ainda uma grossa camada de gordura para atenuar o frio e proteger. Bastante diferente de outras aves, não possui a capacidade de voar, porém, nada extremamente bem, usando suas asas debaixo d´água com potentes nadadeiras conseguindo maior agilidade, conseguindo mergulhar até a profundidade de 45 metros para pescar seus peixes.

Renas: Elas adoram o gelo, e são bastante conhecidas através dos filmes de Papai Noel, e habitam as regiões mais frias da América do Norte e da Europa. Elas estão habituadas a percorrer distâncias longas para encontrar alimento nos pastos, durante as estações de inverno e o verão.

Estes animais, tanto machos quanto fêmeas, possuem chifres. Na época de acasalamento os machos batalham usando os chifres, sendo que o animal mais forte ganha a luta e acaba sendo o responsável por dominar um grupo de fêmeas.

As fêmeas podem gestar por um período compreendido entre seis a oito meses e de cada uma delas nasce apenas um filhote.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *