O Que Mudar Nos Cuidados Quando o Pet Fica Velho?

Assim como nós, os bichos também envelhecem, e assim como o homem, apresentam problemas, como doenças, alterações comportamentais e dores, com a idade mais avançada. Por isso, é necessário dar um atenção especial a mudança de idade, para suprir todas as novas necessidades que surgirão e deixar que a vida deles siga bem.

A velhice para um pet varia muito, o porte do animal, a raça, as características particulares, todos esses e outros fatores fazem com que mude de um bichinho para outro. Um cão de pequeno e médio porte, por exemplo, pode viver cerca de 12 anos, enquanto um grande, chega ao máximo 8 anos. Já os gatos, que moram em um lar, podem viver cerca de 15 anos e os de rua, um pouco menos.

Na verdade, a expectativa de vida dos animais está tornando-se mais longa, para a alegria de quem possui um bichinho de estimação. Segundo veterinários, esse aumento de anos de vida se dá graças a conscientização do donos desses pets que dão mais atenção aos cuidados cotidianos, como cuidar dos dentes, atenção a servir uma boa razão, os passeios, higiene, etc.

Para falarmos de cães e gatos e quando considerá-los idosos tem em mente que: o cão de pequeno porte com 7 anos já pode ser considerado velho e o de grande porte, com 6 anos. O gato quando chega na idade de 10 anos pode ser considerado idoso. Nesse ponto deve partir os cuidados especiais.

As Mudanças Que Ocorrem Nos Animais Com a Velhice

Os animais pet quando tem um aumento dos anos de vida começam a ter o metabolismo diminuído, deixando-o menos ativo, com menos disposição para fazer atividades físicas e tende também a ganhar mais peso. Nesse período surgem as doenças, e as mais frequentes são: catarata, problemas cardíacos, obesidade, diabetes, câncer e problemas renais. Alguns ainda sobrem com surdez e aumento do colesterol.

No caso dos cães por exemplo, com a idade avançada, é aconselhado a diminuir o ritmo de atividades físicas, mas não deixar de fazer. Veja outros cuidados necessários:

  • Coloque a vasilha de água e comida um pouco mais altas do que o normal, para evitar que o cão tenha que abaixar muito para comer ou beber, podendo causar problemas no pescoço (cervical).
  • Coloque grades e portões caso tenha escadas ou qualquer outro lugar que possa fazer com que o cão sofra uma queda.
  • Se tiver piscina em casa, faça com que o cão se mantenha longe ou cubra de modo que ele não possa cair dentro.
  • As coleiras devem ser mais leves e confortáveis, de preferência com peitorais
  • Procure colocar tapetes na casa para que o seu cão não escorre, em caso de pisos que deslizam muito.

Veja Alguns Problemas Comuns Que Pode Enfrentar o Seu Pet Quando Chega a Velhice

Alterações No Metabolismo

Como foi dito anteriormente o metabolismo dos pet sofrem alteração, o organismo produz menos calor e gasta menos energia, por isso, que a alimentação tem que ser revista, pois o seu pet tende a ficar obeso. É normal que essa alteração faça ele sentir mais frio e chegar até tremer.

Por isso, nessa fase, faça com que o seu pet tenha um lugar seguro, limpo e quente. As roupas também podem ajudar a proteger os cães do frio.

Dores Nas Articulações

Os cães velhos sofrem com a inflamação e o desgaste das articulações. Neste caso, quanto antes identificado o problema é possível tratar e amenizar o desconforto, fazendo com que a cartilagem desgastada cresça. Neste caso, a caminhada causa dor e é bom evitá-la por um longo tempo, mas não totalmente, porque ela ajuda a evitar que o problema piore. É bom ter atenção se ele está apenas sem sentir dor por conta dos analgésicos ou porque está curado. Porque se o analgésico faz passa a dor, mas o problema existe, os exercícios físicos farão piorar o problema.

Faça com que o seu cão tenha uma cama macia que ajuda a diminuir a pressão sobre as articulações, experimente colocando um colchão na casinha dele.

Mudanças Nos Sentidos

A idade avançada também faz com que o nosso pet tenha problemas com os sentidos: olfato, visão e audição. Cães velhos, por exemplo, podem acabar sendo atropelados se saem sozinhos porque não percebem a presença do carro.

Além disso, o pet com esse problema tem dificuldade em reconhecer os amigos e os donos. Para evitar isso, sempre quando estiver chegando perto dele comece a falar para que ele imediatamente reconheça a sua voz e também evite roupas que ele não está acostumado a te ver usando, como acessórios tipo chapéu.

Envelhecimento Cerebral

Infelizmente, também o nosso pet sofre com problemas cerebrais, em consequência do envelhecimento. Com a idade o cérebro passa ser menos flexível e não é fácil fazer com que o seu pet entenda novas rotinas ou aprendizados. Aliás, não é o momento para fazê-lo mudar de asa ou ambiente, porque ele ficará desorientado e ansioso. Esse tipo de comportamento provocado pelo estresse da falta de entendimento do que está acontecendo faz com que ele acabe sofrendo acidentes, como cair de uma escada ou dentro de uma piscina.

Nessa fase do envelhecimento cerebral o pet também pode apresentar vários males como: caráter depressivo, se tornar compulsivo, bipolar, ter outros distúrbios e até mesmo o mal de Alzheimer. Você vai perceber essas mudanças se ele começar a chorar sem razão de forma contínua, tiver distúrbios durante o sono, ficar durante muito tempo lambendo a pata no caso dos cães e gatos, ficar tentando passar por espaços menores do que ele ou repetir em sequência os mesmos movimentos. 

Se você se vê diante de alguns desses sintomas por parte do seu pet, procure imediatamente um veterinário, porque se tratam de distúrbios da velhice que podem ser amenizados com tratamento. Hoje em dia se usa tratamentos com remédios homeopáticos, mas também alopáticos e fitoterápicos (de plantas). Normalmente, os remédios usados para esses males nos pet são aqueles mesmo adotados no tratamento de pessoas.

Vale ressaltar que nenhum medicamento deve ser dado para o seu pet sem a prescrição de um veterinário.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Cuidados

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *